Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Associação Cívica organizou mais um Congresso em Aulnay-sous-Bois

Cívica Cívica Cívica Cívica Cívica Cívica
Donativos LusoJornal

 

A Cívica, associação dos autarcas franceses de origem portuguesa, organizou no domingo passado, dia 23 de maio, no Espace Pierre Peugeot, em Aulnay-sous-Bois, o seu Congresso anual, limitado pelas regras sanitárias por causa da pandemia de Covid-19.

Paulo Marques voltou a ser eleito Presidente da associação, tendo também sido reconduzidas nas suas funções a Secretária Maria de Jesus Carlos e a Tesoureira, Júlia Vappereau.

Paulo Marques, que é também o fundador da associação, em 2001, fez uma intervenção inicial e pediu um minuto de silêncio em homenagem a Eric Raoult, “grande amigo desta associação, desde o primeiro dia. Este sempre nos grandes encontros da Cívica, enquanto Deputado e enquanto Ministro” e que faleceu recentemente.

Depois de ter feito um balanço das atividades da Cívica, o Presidente deu a palavra ao Cônsul-Geral de Portugal em Paris, Carlos Oliveira, a Stéphane Fleury, também Adjunto ao Maire de Aulnay-sous-bois e em representação de Bruno Beschizza, Presidente de Paris Terres d’Envoi, e ao Deputado Carlos Gonçalves. Também foi passada uma mensagem do Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa, enviada especialmente para este Congresso.

Numa primeira sessão, os cerca de 40 congressistas presentes na sala, debateram a forma como as autarquias locais geriram a crise de Covid-19. Duas intervenções serviram de base para o debate – a do Maire de Champs-sur-l’isle (Gironde), David Resende, e a do Maire de Seichebrières (Loiret), Philippe Vacher. Seguiram-se as intervenções de vários outros autarcas que contaram exemplos locais de gestão da crise, do impacto financeiro e daquilo que poderá ser o pós-Covid.

Durante o Congresso, a Cívica assinou um Protocolo de parceria com a empresa portuguesa Alves Ribeiro France, representada por Miguel Góis.

Na segunda parte do Congresso foram eleitos os membros do Conselho de Administração da associação. Estavam presentes representantes das Delegações da Cívica na Occitanie, no Grand Est, na Loire, na Gironde.

David Resende veio da região de Libourne até Paris para partilhar as suas experiências. “A minha vida é em França, mas sei de onde vim. Muitas pessoas têm medo de se envolver na política ativa, porque é um trabalho de todos os dias. Sábado e domingo, não temos dias de folga”, explicou à Lusa este autarca nascido em São João da Madeira e instalado em França há mais de 50 anos. David Resende fez a sua carreira no setor privado, chegando a alto quadro de uma empresa de alumínios da sua região, tendo vencido as eleições locais da sua vila pela primeira vez há 20 anos. “Temos uma junta de freguesia pequenina, são 650 pessoas, portanto vou sempre buscar os melhores e com mais qualificações. Sozinhos não fazemos nada”, declarou. A Cívica tem-lhe servido nos últimos três anos, altura em que tomou conhecimento da sua existência, a mantê-lo em contacto com as notícias da Comunidade portuguesa.

As próximas eleições Regionais e Departamentais foram também assunto de debate do Congresso, até porque estavam presentes dois Candidatos às Regionais, Vasco Coelho e Ângela Santos. Mas como estavam também presentes três Conselheiros das Comunidades Portuguesas – Paulo Marques, Rui Barata e Carolina Amaro – também foram abordadas as próximas eleições para este órgão de consulta do Governo português.

Para 2022 e com uma situação sanitária mais estável, Paulo Marques espera poder voltar a realizar a tradicional visita de estudo a Portugal, onde os eleitos locais de origem portuguesa podem conhecer as instituições portuguesas e confraternizar com eleitos nacionais.

 

Conselho de Administração eleito para o período 2021-2027

Cristela de Oliveira (94)

Fernando Rodrigues (77)

Júlia Vappereau (45)

Manuel Aparício (60)

Maria de Jesus Carlos (92)

Paulo Marques (93)

Pedro Capitão (92)

Sandra de Pina Moniz (78)

Vasco Coelho (94)

 

Comunidade
X