Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Para muitos, Jesus é apenas (mais) um homem sábio. O Evangelho do próximo domingo recorda-nos que negar a divindade de Jesus sem renunciar à doutrina é possível, mas apenas se permanecemos a um nível superficial da Sua mensagem: «Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida». Sócrates, Aristóteles e Ghandi eram sem dúvida homens sábios, porém nenhum deles ousou uma tal declaração!

Eu Sou. Já esta expressão (“egô eimi”) é em si uma identificação que nos leva ao nome revelado por Deus a Moisés no livro do Êxodo: «Assim dirás aos filhos de Israel: “Eu Sou” enviou-me a vós!» (Ex 3,14). Jesus não pretende ser “mais um profeta”, mas arroga-Se a condição de Filho de Deus: «Quem Me vê, vê o Pai» (Jo 14,9).

O Caminho. O Evangelho diz-nos que seguir Jesus não é apenas seguir um guia que indica uma estrada. Ele não só caminha connosco, mas é o Caminho em si: «Ninguém vai ao Pai senão por Mim» (Jo 14,6).

A Verdade. Revelando Deus Pai, Jesus não diz apenas a verdade, mas é a verdade incarnada «e a verdade vos libertará» (Jo 8,32).

E A Vida. Ninguém é a causa da própria existência; todos somos contingentes, criaturas, que não possuem a vida em sim. Deus, no entanto, é (como se diz em filosofia) a causa primeira, o Ser necessário, a vida com “V” maiúsculo. Jesus identifica-se com a fonte da vida: «assim como o Pai ressuscita os mortos e os faz viver, também o Filho faz viver aqueles que quer» (Jo 5,21).

Como podemos conciliar estas afirmações com a visão de um mero homem sábio e sensato? Tal como dizia o grande físico e matemático francês Blaise Pascal, cada um deve arriscar uma posição clara: se aceitamos Jesus na nossa vida, aceitamo-Lo na totalidade. Verdadeiro Deus e verdadeiro homem.

 

Religião
X