Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Depois de eleger os Doze apóstolos, Jesus deu aos seus discípulos uma série de instruções, antes de enviá-los a proclamar a Boa Nova. O Evangelho que escutaremos no próximo domingo é um trecho desse “discurso da missão”, onde o tema central é sugerido pela expressão «Não temais!», que se repete por três vezes ao longo do texto:

«Não tenhais medo dos homens (…) Não temais os que matam o corpo, mas não podem matar a alma (…) Até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Portanto, não temais».

Ameaças e perseguições acompanham desde sempre a missão dos discípulos e ainda hoje, em muitos países do mundo, homens e mulheres são presos e assassinados por acreditarem em Cristo e proclamarem o Evangelho.

A lista dos agentes pastorais católicos assassinados, publicada anualmente pela agência vaticana Fides, refere que só em 2019 foram assassinados 29 missionários: dezoito sacerdotes, um diácono permanente, dois religiosos, duas freiras e seis leigos.

Esta lista (certamente incompleta) dá à afirmação de Jesus um sentido mais profundo, mais real, mais concreto: «Não temais!», porque o anúncio do Reino poderá encontrar hostilidade e escárnio, mas Eu estarei sempre convosco.

É esta confiança que nos dá alento!

É esta certeza que nos dá ânimo!

Peçamos a Deus que nos dê a coragem e a sabedoria necessárias para anunciarmos o Evangelho, sempre e em toda a parte!

Peçamos ao Senhor que não nos deixe cair na tentação do silêncio, não só diante dos nossos adversários, mas também – onde por vezes ainda custa mais – diante dos nossos amigos…

 

Religião
X