Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Belmiro Ramos, que completou um século de existência no passado dia 14 de maio, faleceu ontem, dia 19 de junho, num hospital de Lille e vai ser cremado no próximo dia 23, às 14h00, no Crematório de Wattrelos.

Belmiro Ramos estava hospitalizado há 10 dias e faleceu sem sofrimento. “Tinha o coração cansado e já não tinha energia suficiente. Tinha uma infeção pulmonar que agravou o seu estado de saúde” dizem as filhas ao LusoJornal.

Elizabete e Isabelle, as filhas de Belmiro Ramos e de Maria Helena dos Santos (também já falecida), passaram o último dia com o pai, no hospital. “Falámos um pouco com ele. Mesmo cansado, e fazendo longas pausas para dormir, ainda dava a réplica” contam ao LusoJornal. “O facto que não tenha sofrido, apazigua-nos. 100 anos é muito. Estamos contentes que ele tenha festejado os 100 anos em plena forma, rodeado pela família, num belo dia de sol”.

Belmiro Ramos repousa agora na Câmara mortuária do Hospital Saint Vincent de Paul (Boulevard de Belfort) em Lille.

Para além de ter sido Conselheiro das Comunidades Portuguesas no início dos anos 80, Belmiro Ramos era sobretudo dirigente associativo e cofundou a Associação de Cooperação Franco-Portuguesa de Tourcoing e o Clube dos Portugueses de Lille.

Belmiro Ramos era também o representante do Partido Comunista Português na Comissão eleitoral do então Consulado de Portugal em Lille e guardava com emoção um documento com 25 desenhos feitos por Álvaro Cunhal nos anos 50.

O LusoJornal prestou homenagem recentemente a Belmiro Ramos, através do seu correspondente no Norte, António Marrucho. “Vamo-nos inspirar do artigo para dizer algumas palavras no momento da cerimónia” confessaram as filhas.

 

Assembleia de Cremação

Terça-feira, 23 de junho, 14h00

Crématorium de Wattrelos

316 rue de Leers

59150 Wattrelos

 

Comunidade
X