Companhia de teatro portuguesa e Federação Francesa de Parkour em projeto educativo

A ASTA – Associação de Teatro e outras Artes está a liderar um projeto europeu, onde está incluída a Federação Francesa de Parkour, que junta o “rap” ao “parkour” em prol da cidadania e educação, anunciou aquela companhia com sede na Covilhã, distrito de Castelo Branco.

“Financiado pela União Europeia, ao abrigo do programa Erasmus +, o desafio do projeto ‘?APKOUR’ é o de ser capaz de criar uma metodologia que integre a criatividade dos jovens, com o propósito de estabelecer um caminho educacional que reforce a partilha e valorização dos espaços urbanos, a criatividade e a atividade física e desportiva”, explica a ASTA, em nota de imprensa enviada à agência Lusa.

De acordo com a informação, o ‘?APKOUR’ pretende promover “a inclusão e a emancipação dos jovens, desenvolvendo uma cidadania ativa junto dos que têm menos oportunidades e se encontram em risco de exclusão social”.

“Promover atividades socioeducativas destinadas a apoiar as capacidades e o desenvolvimento profissional de educadores e líderes de grupos” é outro dos objetivos.

“A intenção é a de promover disciplinas como o ‘rap’ e o ‘parkour’ como atividades positivas, incentivando a expressão artística e a participação dos jovens, permitindo-lhes o desenvolvimento de aptidões cívicas e sociais”, lê-se ainda na nota.

O projeto também deverá envolver jovens em situações de exclusão, discriminação social e cultural, através destas disciplinas, para “transmitir mensagens como a inclusão social, a luta contra a discriminação e o diálogo intercultural, encorajando a partilha de ideias, conhecimento e competências através de um percurso de aprendizagem informal”.

Além da ASTA, que lidera o projeto, o “?APKOUR” é composto por um consórcio que engloba quatro parceiros europeus, designadamente a Federação Francesa de Parkour (FPK – Fédération de Parkour), de Strasbourg, a Associação Nova Linguagem (ANL – Associazione Nuovi Linguaggi), de Loreto, Itália, e o Comité Nobel para os Desfavorecidos (CND – Comitato Nobel Per I Disabili), criado pelo Nobel da Literatura Dário Fo, de Gubbio, Itália.

O projeto conta ainda com mais três parceiros associados: a cooperativa RUMBOS – Recursos Educacionais, de Sevilha (Espanha), e das associações francesas de Roubaix DA-MAS – Hip-Hop Culture e PARKOUR59 – A creative practice of public space.

A companhia covilhanense especifica que o trabalho já começou a ser desenvolvido e já teve sessões em Bolonha (Itália) e Roubaix (França).

Entre os resultados previstos está a criação de uma metodologia educacional e formativa inovadora, propondo um currículo educativo com a inclusão do “rap” e do “parkour”.

“Será editado num manual a disponibilizar gratuitamente em português, inglês, francês, italiano e espanhol e todo o projeto será objeto de registo, resultando num documentário que mostra o processo de trabalho desenvolvido.