Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O projeto cinematográfico “Bruxa” da luso-francesa Cristèle Alves Meira, vai receber 180 mil euros de apoio financeiro do fundo Eurimages, criado pelo Conselho da Europa.

Este ano, o fundo financeiro Eurimages, criado em 1988, vai apoiar a produção de 20 filmes de ficção, um de animação e cinco documentários, num total de cerca de 6,1 milhões de euros, segundo o comunicado do Conselho da Europa.

O Eurimages destinou também 310 mil euros à coprodução luso-francesa “Selvajaria”, de Miguel Gomes, selecionado para um programa do Festival de Cinema de Locarno (Suíça), em agosto, criado na sequência da Covid-19, e 180 mil euros à coprodução, repartida entre França, Portugal e Bélgica, de “Bruxa”, da lusodescendente Cristèle Alves Meira, nascida e a residir em França.

De acordo com o Conselho da Europa, este ano “52% dos projetos apoiados são realizados por mulheres, tendo sido destinados 2,5 milhões de euros a estes projetos, o que representa 41% do valor total”.

Devido às “dificuldades causadas pela pandemia da Covid-19”, a equipa que gere o Eurimages decidiu aumentar a validade dos apoios de 12 para 20 meses, “desde a data da decisão do Conselho de Administração do Eurimages”.

“Bruxa” é a primeira longa-metragem de ficção de Cristèle Alves Meira, que vive em Paris e tem raízes portuguesas entre Viana do Castelo e Trás-os-Montes, região à qual regressa várias vezes por ano para produzir azeite. É lá que também rodará este ano “Bruxa”.

 

Cultura
X