0   +   4   =  

Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Odete Fernandes é coanimadora do programa de rádio “Só Fado” difundido todas as semanas, à sexta-feira à noite, na rádio Alfa. Durante este período de confinamento por causa da pandemia de Covid-19, Odete Fernandes continua a fazer o programa de rádio, mas deixou de subir aos palcos onde era habitual vê-la apresentar espetáculos.

Odete Fernandes está preocupada com a pandemia de Covid-19, mas tem a esperança que o “novo mundo” seja bem melhor.

 

Como tem estado a passar este período de confinamento?

Estamos numa sociedade orientada pela era digital e uma das vantagens é a capacidade que temos de poder trabalhar à distância. Por isso consegui manter quase todas as minhas atividades profissionais à distância inclusivamente o programa de rádio “Só fado” na Rádio Alfa, que tenho o prazer de apresentar com Manuel Miranda e Fernando Silva.

 

Estamos habituados a vê-la apresentar espetáculos, mas essa atividade não pode ser feita à distância…

Estou muito ligada às associações portuguesas da Comunidade portuguesa da região de Paris que infelizmente estão todas por enquanto sem atividade. Todos os eventos associativos foram obviamente cancelados. No mês de abril, eu devia apresentar a abertura da grande Feira de Nanterre, organizada pela ARCOP, um evento tão esperado por todos nós. No mês de abril, também foram cancelados vários eventos que eu devia apresentar como por exemplo o concerto da artista Sandra Helena e as comemorações do 25 de Abril na ADAP (Association Drancéenne des Amis du Portugal). No mês de maio também tinha alguns eventos agendados como o aniversário da ADAP, em Drancy. Além disso, fiquei muito triste quando recebi a notícia que o segundo Festival de Fado de Paris que eu devia apresentar no mês de outubro tinha sido cancelado. Sinto muitas saudades do encontro com as pessoas, dos sorrisos e dos olhares trocados nos eventos. Também sinto obviamente muitas saudades dos meus alunos e dar aulas à distância não é satisfatório. Espero regressar à normalidade quando as condições sanitárias permitirem estarmos novamente todos juntos.

 

Tem aproveitado este confinamento para trabalhar em novos projetos?

Sim, durante este período tenho aproveitado para rever as minhas prioridades, concentrar-me no que eu acho essencial. Estou a trabalhar em alguns projetos mas por enquanto prefiro não desvendar tudo.

 

Está preocupada com esta pandemia de Covid-19.

Sim, estou muito preocupada com a situação atual. No ponto de vista sanitário a situação é dramática, mas também sei que esta fase é muito difícil economicamente para muita gente… Como sou positiva, quero acreditar que mesmo nos tempos mais escuros existe sempre uma luz que nos guia e nos traz esperança… Vou citar Peter Drucker e acredito que “A melhor maneira de prever o futuro, é criá-lo”. Tenho a certeza que esta fase tão difícil pela qual estamos a passar é também uma oportunidade para a Humanidade construir um “Novo Mundo” mais responsável, mais solidário e mais respeitador do ambiente…

 

Comunidade
X