Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A escritora e intelectual franco-búlgara Julia Kristeva recebe nesta quinta-feira o grau de doutora Honoris Causa pela Universidade Católica Portuguesa (UCP), em Lisboa, pelo seu trabalho, nomeadamente na construção da linguagem poética, como marco na formação do estruturalismo.

Escritora, psicanalista e professora emérita da Universidade Paris Diderot-Paris 7, Julia Kristeva receberá o Doutoramento Honoris Causa pela UCP na sessão de abertura do ano letivo 2019/20, no próximo dia 10 de outubro, às 10h30, hora local, por proposta da Faculdade de Ciências Humanas, revelou aquela instituição de ensino.

Julia Kristeva é considerada uma das mais importantes intelectuais da contemporaneidade, tendo o seu trabalho sobre a construção da linguagem poética sido um marco na afirmação do estruturalismo.

“História da Linguagem”, um título continuamente presente nos estudos de comunicação desde a sua edição original, no início dos anos de 1970, e “A Semiótica do Romance” estão entre as suas principais obras de análise e investigação, a que se sucederam títulos de reflexão mais recentes, como “Estrangeiros a nós-mesmos” e “O Futuro de Uma Revolta”.

Kristeva destacou-se também na área da ficção com obras como “Os Samurais” e “O Velho e os Lobos”.

Em 2012, a escritora foi convidada pelo cardeal Gianfranco Ravasi para participar no espaço de diálogo entre crentes e não crentes, tendo colaborado na obra “O Átrio dos Gentios – Crentes e não-crentes perante o mundo de hoje”.

Autora de mais de 30 obras, traduzidas em mais de 15 línguas, incluindo português, Julia Kristeva é membro titular da Sociedade de Psicanálise de Paris e Doutora Honoris Causa de várias Universidades nos Estados Unidos, Canadá e Europa.

Foi também agraciada com os títulos de Comandante da Legião de Honra, Comandante da Ordem de Mérito, em França, e foi a primeira laureada do Prémio Holberg, em 2004.

No seu currículo conta ainda com o Prémio Hannah Arendt, atribuido em 2006, e com o Prémio Vaclav Havel, concedido em 2008.

Julia Kristeva fundou em 2008 o Prémio Simone de Beauvoir para a Liberdade das Mulheres.

 

Linda de Suza 19/20
Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 2 Votos
4.6
X