Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Política

 

O núcleo do partido Iniciativa Liberal do Benelux enviou ao Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas um Guia de Portugal, “que pode partilhar com os seus colegas. E até já está em inglês, nem precisa de mandar traduzir para benefícios dos turistas estrangeiros”, declarou Manuel Baptista.

Com esta iniciativa, a Iniciativa Liberal Benelux pretende denunciar “promessas fúteis” do programa de Governo, como a criação de um mapa de comércio, serviços e restauração, com identificação e georreferenciação de estabelecimentos nestes setores. “Os restaurantes e as lojas em Portugal valem por si. Não precisam que o Governo gaste dinheiro num mapa, que depois custará ainda mais dinheiro para manter atualizado. Já há guias e mapas, impressos ou digitais, que ajudam quem deles precisar para encontrar e escolher um restaurante ou uma loja” afirmou Manuel Baptista, Coordenador da IL Benelux, acrescentando que apenas o Governo pode ajudar as Comunidades portuguesas a não ter de esperar interminavelmente para conseguirem utilizar os serviços consulares ou para os seus filhos terem aulas de português.

“Visto a quantidade de trapalhadas e erros cometidos recentemente pelo Governo, é claro que este não tem mãos a medir. Por isso a Iniciativa Liberal Benelux vai dar uma mãozinha ao Governo, e ajudá-lo a cumprir uma das suas promessas” diz uma nota enviada por aquele núcleo do Partido ao LusoJornal.

“Em conjunto com o guia, enviámos uma carta com perguntas concretas sobre as vagas promessas que o Governo fez aos emigrantes. A Iniciativa Liberal Benelux não deixará passar em claro o desinteresse que este Governo vota às Comunidades portuguesas, e continuará a denunciar os problemas com que elas se defrontam, e espera propostas concretas para os resolver”, afirmou o coordenador da IL Benelux.

Iniciativa Liberal Benelux condena “o desprezo e o abandono a que o Governo vota as Comunidades portuguesas no estrangeiro”.

“Por enquanto ainda não foi pedido aos emigrantes que não utilizem os serviços consulares, mas a Iniciativa Liberal Benelux considera que não é preciso. As Comunidades portuguesas bem tentam renovar o Cartão do cidadão ou registar um casamento, mas esbarram com portas fechadas e serviços muito abaixo dos mínimos exigidos” diz a nota do Iniciativa Liberal Benelux.

Para além da dificuldade em aceder ao consulado, o núcleo da IL no Benelux considera que “o ensino do português no estrangeiro continua com as mesmas dificuldades de sempre e o número de alunos é cada vez menor”.

 

Donativos LusoJornal
X