Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Yohann Ladeiro chegou esta quinta-feira a Espanha depois de ter percorrido 1.600 quilómetros desde Roubaix, em duas semanas e meia, com três dias de repouso.

Yohann Ladeiro faz parte daquilo que chamamos a terceira geração. Foram os avós que vieram até França à procura de melhores dias, à procura da liberdade, à procura de matar a fome, participando pela mesma ocasião na reconstrução da França. Estávamos naquilo a que se chamou “os trinta anos gloriosos”.

Yohann Ladeiro partiu de Roubaix, na fronteira entre a França e a Bélgica, a caminho da Miuzela, terra natal dos seus avós. Vai percorrer cerca de 2.300 quilómetros de bicicleta.

O jovem lusodescendente adora ir à aldeia dos avós, todos os anos. Gosta dos festivais, reconhece a tranquilidade e o bem-estar de uma localidade onde todos os Portugueses emigrados para França se encontram no verão.

Fazer 2.300 quilómetros em 4 semanas, talvez em si não seja uma proesa, mas o mais importante é o exemplo. Quantos jovens por vezes deixam de sonhar e se abandonam à facilidade, aos facebooks, aos telemóveis…

Depois de ver o seu professor Jean-Philippe Bossut, ir do Norte da França até à Lapónia, no Norte de Europa, Yohann Ladeiro teve a ideia de fazer o mesmo na direção do sul, na direção de Portugal.

Yohann Ladeiro tem 25 anos, não era desportista nem queria mediatizar a sua tentativa, que se está a tornar uma realidade. A ideia era de fazer o caminho sozinho, passar por lugares com pouca circulação, visitar, ao mesmo tempo que avançava e se aproximava de Portugal. Bater um record nunca foi o seu objetivo.

O desafio pessoal era de lutar com as suas forças e de lutar contra a sedentariedade.

Podemos resumir a iniciativa do jovem de Roubaix/Miuzela pelo ditado: “Quand on veut, on peut”. Não será isso o mais importante desta viagem de bicicleta que vai conduzir Yohann Ladeiro de Roubaix à Miuzela?

Os maiores desafios não serão aqueles da luta contra nós mesmos.

O moral de Yohann Ladeiro está bom, tanto mais que por enquanto até o tempo o tem acompanado. Ainda não teve uma gota de chuva desde o início da aventura. Tem sido encorajado pelas gentes com quem tem falado e com quem tem feito por vezes quilómetros juntos.

Em princípio não deveria passar por Bordeaux, mas Yohann Ladeiro fez um desvio para saborear a especialidade da cidade: Le Cannelé.

Agora já está em Espanha.

 

Comunidade
X