Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O futebolista português Rui Fonte (na direita na foto), que atuou no Lille na temporada 2018/2019, considera que a Inglaterra, com presença marcada na fase final da Liga das Nações de futebol, em Portugal, está hoje ao nível as melhores seleções do mundo devido ao muito “investimento” que faz.

A seleção britânica defronta a Holanda, para as meias-finais da prova, no dia 06 de junho, em Guimarães, e o avançado, de 29 anos, que já passou pelo Arsenal, pelo Crystal Palace e, mais recentemente, pelo Fulham (2017/18), realçou a capacidade financeira do país para ter as “melhores instalações” e contratar os “melhores jogadores”.

“Está a confirmar-se o investimento feito ao longo destes anos todos. [A I Liga inglesa] Consegue ir buscar os melhores jogadores e isso está-se a refletir no futebol inglês, porque depois os próprios jogadores ingleses têm outra competitividade”, explicou o jogador que, em 2018/19, representou o Lille, de França.

O futebolista acrescentou que a Inglaterra, além de ter obtido o quarto lugar no último mundial, em 2018, também tem alcançado títulos nas seleções jovens – o mundial sub-20 em 2017, por exemplo.

Apesar de, em Inglaterra, só ter jogado na II Liga, Rui Fonte disse ainda ter obtido uma “bagagem muito boa para o resto da carreira”, porque a “competitividade” também se faz sentir a esse nível, com “jornadas de três em três dias”.

Para o ponta de lança, Portugal, cuja meia-final está agendada para 05 de junho, com a Suíça, no Porto, é outra seleção que está forte neste momento, com vários jogadores jovens a aparecerem – João Félix (19 anos) e Rúben Dias, Rúben Neves, Diogo Jota e Gonçalo Guedes (ambos com 22 anos).

Rui Fonte atribuiu o aparecimento de jovens jogadores nas principais equipas portuguesas e também na seleção ao trabalho das equipas B, na II Liga, e considerou que a ‘equipa das quinas’ tem uma boa oportunidade de alcançar um novo título europeu, depois do feito alcançado em 2016.

Depois de uma carreira em que passou ainda pelo Benfica, pelo Braga, pelo Belenenses, pelo Vitória de Setúbal e pelo Espanyol de Barcelona, o avançado do Lille jogou, no ano passado, ao lado do irmão José Fonte, defesa central de 35 anos, convocado para a Liga das Nações.

Rui Fonte elogiou a “ambição e a fome de ganhar” que o irmão demonstrou ao longo da época, tendo ainda sublinhado que Portugal está bem servido no eixo da defesa, setor para o qual o selecionador Fernando Santos dispõe ainda de Pepe, do FC Porto, e de Rúben Dias, do Benfica.

“A consistência defensiva é sempre importante. Não sofrendo golos, estamos mais perto de ganhar. Com a capacidade ofensiva que Portugal tem, acabará sempre por marcar. Mas a equipa constrói-se de trás para a frente, porque é aí a base. Estamos muito bem servidos [atrás]”, disse.

 

LusoJornal Artigos
Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
9.1
X