Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Comunidade

 

 

O responsável da campanha de Emmanuel Macron no departamento do Var, no sul de França, pede aos portugueses com nacionalidade francesa que não votem em Marine Le Pen já que não defende “os valores” da Comunidade.

“Sei que há Portugueses que pensam votar em Marine Le Pen e eu quero dizer-lhes que votem em Emmanuel Macron, porque é ele que defende os nossos valores, é ele que defende a abertura ao mundo”, alertou Reynald Cadoret, em declarações à Lusa.

Este lusodescendente, empresário no setor imobiliário, instalado na cidade de Draguignan, no departamento do Var, e com origens em Viana do Castelo, conta no seu território com autarquias lideradas pelo Rassemblement National e defende que o partido de extrema-direita destruiu o erário público dessas autarquias.

Desde 2016 que o empresário acompanha Emmanuel Macron, tendo já estado envolvido na sua campanha eleitoral às presidenciais de 2017. “Eu não me identificava com o projeto de Jean-Luc Mélenchon, nem de François Fillon e ainda menos Marine Le Pen. Eu estava à procura de um projeto social, liberal, democrático, dinâmico, otimista e europeu e Emmanuel Macron é tudo isso”, declarou este franco-português, que até Emmanuel Macron nunca tinha estado envolvido na vida política.

Rapidamente Reynald Cadoret se tornou responsável da maioria presidencial no departamento do Var, tendo organizado a campanha do Presidente em 2017, mas também da sua força política nas legislativas, nas europeias de 2019 e nas municipais de 2020, estando novamente a ajudar a mobilizar os votos em Macron em 2022. “Há dois grandes desafios nesta campanha. Um é convencer quem votou à esquerda para votar em Emmanuel Macron, porque o nosso projeto tem questões sociais e ambientais que interessam a esses eleitores, e o segundo é dizer que Marine Le Pen mente às pessoas. Ela vai arruinar-nos”, indicou.

Reynald Cadoret considera que a líder da extrema-direita quer retirar a França da União Europeia e sendo filho de pai português e de mãe francesa, recusa essa possibilidade.

Para este franco-português o projeto europeu é algo que ajuda tanto a França como Portugal a desenvolverem-se e ao querer mudar o projeto europeu, Marine Le Pen vai estar a prejudicar todos os países europeus. “A eleição aqui em França é dia 24 de abril, no dia seguinte é o 25 de Abril! Uma data importante para Portugal. Os Portugueses aqui em França devem mobilizar-se por esses valores”, defendeu este militante do República em Marcha, partido de Emmanuel Macron.

Marine Le Pen e Emmanuel Macron confrontam-se para a segunda volta das eleições presidenciais francesas no domingo, com o Presidente a ter uma vantagem nas sondagens face à sua rival de extrema-direita.

Na primeira volta das presidenciais, Macron obteve 27,85% dos votos, contra os 23,15% da sua rival.

Donativos LusoJornal

 

X