Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Os estudantes lusodescendentes que não passem o Bac este ano excecional por causa da pandemia de Covid-19, vão poder beneficiar de medidas excecionais no concurso de acesso às instituições ensino superior portuguesas para o próximo ano letivo.

Segundo um comunicado do Conselho de Ministros da semana passada, foi aprovado, na generalidade, um Decreto-lei que prevê um regime excecional de acesso ao ensino superior para os estudantes internacionais, oriundos dos sistemas de ensino secundário onde, devido à pandemia da Covid-19, não se realizem exames finais este ano. “A emergência de saúde pública de âmbito internacional suscitada pela pandemia de Covid-19 determinou a adoção de medidas visando a contenção e mitigação da crise pandémica e, na sequência dessas decisões, em diversos sistemas de ensino estrangeiros e internacionais foram aprovadas alterações excecionais às condições de conclusão do ensino secundário”, justifica o Governo em comunicado.

Na Europa, para além da França, também o Reino Unido e a Suíça estão entre alguns desses países, que optaram pela suspensão das provas de avaliação de âmbito nacional de conclusão do secundário.

Em Portugal, os exames dos 11º e 12º foram apenas adiados e continuam a ser um dos critérios no concurso nacional de acesso ao ensino superior, apesar de, excecionalmente, os alunos poderem optar por realizar apenas os exames que queiram utilizar para essa candidatura.

“Considerando que, no atual enquadramento legal, a inexistência dos exames terminais de avaliação nos sistemas de ensino secundário estrangeiros e internacionais impede a candidatura de todos os estudantes dele oriundos, estas medidas pretendem não prejudicar o prosseguimento de estudos desses candidatos”, continua o documento.

O comunicado do Conselho de Ministros, ainda não esclarece, contudo, quais são as novas regras para o acesso destes estudantes às faculdades e institutos politécnicos portugueses.

 

Ensino
X