Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Lyon: Procissão e missa em honra de Nossa Senhora de Fátima na Croix-Rousse

LusoJornal | Jorge Campos LusoJornal | Jorge Campos LusoJornal | Jorge Campos LusoJornal | Jorge Campos LusoJornal | Jorge Campos
Donativos LusoJornal

 

A Comunidade portuguesa residente na zona oeste da cidade de Lyon, especialmente em Caluire, Vaise, St. Rambert e Duchère, festejaram o aniversário das aparições da Virgem Maria em Fátima na paróquia de St. Bruno, e em coordenação com o seu Pároco, o Padre Matteo e os responsáveis deste Polo da Capelania portuguesa.

No sábado, a partir das 19h00, nos jardins do Mosteiro dos Chartreux, teve lugar a procissão e no final a celebração da Eucaristia teve lugar na igreja de St. Bruno.

O grupo coral da Capelania animou as celebrações que reuniram cerca de 250 fiéis animados pelo amor Mariano. “Este ano não organizámos o tradicional convívio de confraternização no final das cerimónias, pois não quisemos arriscar e expor mais do que o necessário as pessoas face à Covid-19” disse Manuel Batista, responsável do polo.

“Tudo correu da melhor maneira possível e estamos todos muito contentes por termos honrado a Virgem Medianeira, a Senhora de Fátima, a quem, deste modo, agradecemos em família, com os amigos e conhecidos, todas as graças que Ela nos tem concedido” disse por seu lado Sinfrósia Batista, uma das responsáveis pelo Polo católico da Comunidade portuguesa de Lyon 1°. “Já podemos agendar para o sábado dia 7 de maio do próximo ano de 2022, um grande encontro da Comunidade, pela tarde e depois em noturno, as celebrações habituais ou seja a procissão e a missa”.

A presença de muitas famílias portuguesas recém-chegadas à região de Lyon demonstra o interesse que elas têm em viverem a fé e guardarem as tradições religiosas portuguesas. “Eu estou aqui há cinco anos e é a segunda vez que venho participar nesta manifestação. Tenho muita fé em Deus e na Virgem Maria a que sempre peço que me ajudem nesta vida de emigrantes. Soube também que agora não haverá mais missas em português, por falta de padres, o que me entristece um pouco, mas temos de nos adaptar aos tempos em que vivemos” disse ao LusoJornal Maria Ribeiro, vinda de Trevoux.

 

Religião

 

 

X