Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Quando faltava apenas meia hora para o termo das 24 Horas Vila de Fronteira em todo-o-terreno, a última prova da temporada em Portugal, a equipa franco-portuguesa que dominou a segunda metade da prova, constituída por Mário e Alexandre Andrade, Cédric Duple, Yann Morize e Luís Ribeiro, entrou nas ‘boxes’ e já não saiu com problemas de embraiagem no A.C. Nissan Proto.

Meia hora antes, outra equipa franco-portuguesa, a MMP Evo 3 de Thierry Charbonnier, Paulo Marques, Alexandre Ré e José Pimenta, também desistiu quando o veio primário do carro construído em França cedeu.

Com a desistência das equipas luso-francesas que dominaram a prova, a vitória sorriu ao Mitsubishi Pajero da equipa letã composta por Igor e Rudolfs Skoks e Arvis Pikis, que cumpriram 118 voltas ao Terródromo.

Mário Andrade, há muitos anos radicado na região de Paris – proprietário de empresas no centro abastecedor de Rungis – que já ganhou várias vezes as 24 Horas de Paris e as 24 Horas de Fronteira, continua a ser considerado “O Senhor Fronteira”.

É a ele que se deve a forte participação de equipas francesas nesta prova alentejana.

Praticamente já tinha deixado de pilotar para dar o lugar ao filho, Alexandre Andrade – um dos melhores pilotos da atualidade nesta modalidade – mas não resistiu e voltou a Fronteira para pilotar.

O bolide da Andrade Competitions arrancou na pole position porque fez o melhor tempo dos treinos. Mas partiu a direção assistida logo na primeira hora da prova. Durante 23 horas fez uma subida espetacular. A meia hora do fim da prova, quando só faltavam 3 voltas e quando a equipa levava 3 voltas de avanço para o segundo classificado, teve de desistir sem embraiagem!

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
9.8
X