Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Todos os dias são dias de Portugal

 

Nos Lusíadas, Camões escreveu o que sempre amou,

Deixando os poemas sentidos aqui e além-mar.

Moribundo e abandonado poemas ele deixou,

Poesias guardadas e belas a declamar…!

O que posso mais dizer ou escrever nos meus poemas!

Mesmo se escrevo um pouco mal.

Não sou Camões, nem escrevo com penas,

Mas sou ainda um filho de Portugal…!

Será um dia como tantos outros feriados,

Mas de certeza que haverá sempre festa neste dia,

Lembrando todos os poetas abandonados,

Mesmo depois de mortos vão adorando sua poesia…

Essa poesia que sai da alma de um pensador,

Alguém que descreve o pensar

Por vezes escondidos na sua dor,

Rasgam as linhas com o chorar.

Nestes dias as saudades apertam o coração

Podia escrever o meu amor sobre a bandeira nacional.

Mas escrevo nestas linhas somente na recordação,

Que todos os dias, serão dias… de Portugal!

 

 

X