Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A editora francesa especializada em literatura lusófona, Le Poisson Volant, lançou a versão francesa de “Monção” da autoria da goesa Vimala Devi.

Publicada em 1963, dois anos depois de os Portugueses terem abandonado Goa, devolvendo a cidade a quem de direito, esta coletânea de contos é um dos marcos da literatura indo-portuguesa.

Estes dezasseis contos de Vimala Devi, pseudónimo de Teresa da Piedade Baptista (Goa, 1932), podem ser incluídos no que se convencionou chamar de “literatura menor” em língua portuguesa. “Menor” não por ser considerada inferior ou mais pequena, mas sim por se tratar de uma literatura construída por alguém pertencente a uma minoria étnica utilizando para tal uma língua canónica, neste caso o português.

A mais essencial das características das “literaturas menores” é a desterritorialização da língua canónica, pois, ao ser associada à cultura de um outro território, ela ganha uma dimensão mais ampla. Assim, a língua portuguesa na obra de Vimala Devi abre asas e atinge patamares que apenas um punhado de outras línguas europeias, como o espanhol, o francês ou o inglês, conseguiram alcançar.

É então em língua portuguesa que Vimala Devi vai retratar uma cultura única. A cultura goesa, cosmopolita e complexa, é o fruto de 450 anos de presença portuguesa (1510-1961) naquele território, facto que a diferencia a vários níveis, seja religioso, gastronómico, arquitetónico, das restantes culturas do subcontinente indiano.

Esta coletânea retrata uma sociedade entalada entre dois universos e é através da vida quotidiana dos seus habitantes que se revelam os contrastes, as divisões e as contradições, sejam eles sociais ou religiosos, que a afetam.

Nas vésperas da reunificação de Goa com a Índia, a autora tenta preservar nesta obra uma identidade goesa ameaçada. É uma sociedade goesa em mutação que “Mousson” retrata, tornando-se então Vimala Devi numa espécie de porta-voz que expõe os problemas sociais de uma sociedade em decadência, é certo, mas simultaneamente fascinante. Amores impossíveis, oposição de classes, sonhos da diáspora, pressão social, condições de vida das castas inferiores, casamentos combinados pelos pais.

É esta coabitação e confrontação de mundos diferentes incapazes de se misturarem – hindus e cristãos, tradição e modernidade, ricos privilegiados e trabalhadores pobres – que Vimala Devi, atualmente a viver em Barcelona, demonstra de maneira magistral.

“Mousson, Contes de Goa” é a primeira publicação que resulta da parceria entre a editora Le Poisson Volant e o Département de Portugais de l’Université d’Aix-Marseille.

 

Linda de Suza 19/20
Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 4 Votos
5.5
X