Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Milhares de trabalhadores portugueses conseguiram ver recuperadas as suas pensões pelo trabalho efetuado no estrangeiro, estando quase a atingir os quatro milhões de euros, segundo o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

José Luís Carneiro salientou que a verba «recuperada» é «parte do resultado» do trabalho gerado pelos 132 Gabinetes de Apoio ao Emigrante (GAE), cujos serviços centrais têm sede no Porto e que supera, a dois meses de fim de 2017, os 3,5 milhões conseguidos em 2016. «No ano que termina, significa a recuperação de quase quatro milhões de euros de aposentações que, sem esse apoio, dificilmente seriam recuperados junto de vários países parceiros da UE (União Europeia) que, por desconhecimentos dos trabalhadores, dificilmente poderiam beneficiar desse direito à sua devida, justa e completa pensão com o trabalho realizado no estrangeiro», frisou.

José Luís Carneiro destacou a importância do reforço das pensões dos que regressaram a Portugal após uma vida de trabalho no estrangeiro. «Instituímos 132 Gabinetes de apoio ao emigrante com os municípios (…) e uma das áreas trabalho está vocacionada para o acompanhamento e apoio aos trabalhadores portugueses residentes no estrangeiro e, numa fase de fim da vida de trabalho, para a recuperação dos direitos sociais, como as pensões», explicou.

«Em 2016, tínhamos andado na ordem dos 3,5 milhões de euros e este ano estamos a superar esse número, de acordo com os dados que têm sido possíveis apurar», insistiu, indicando que a Suíça foi o país onde mais se conseguiu recuperar direitos sociais.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 11 Votos
6.0
X