Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Rúben Martins (em primeiro plano), o atleta português do clube francês de Hóquei em Patins de Noisy-le-Grand, fez o seu balanço de 2018 e afirmou ao LusoJornal que quer uma época cheia de golos, contrariamente à temporada passada onde uma lesão o impediu de concretizar vários objetivos, estando a lutar pelo título de melhor marcador do Campeonato e não pôde participar na final da Taça de França.

O jogador de 27 anos deu destaque aos feitos históricos realizados pela equipa da Região parisiense, lamentou a lesão que o impediu de concretizar vários objetivos, e projetou 2019 com o desejo de lutar até ao fim do Campeonato sem problemas físicos, não esquecendo também de abordar temas do momento como a luta contra o racismo e os movimentos sociais que pedem melhores condições de trabalho para o povo.

 

O que mais o marcou em 2018?

O que mais me marcou em 2018: A nível coletivo, foi a ida à final da Taça de França e o 4° lugar histórico do clube na primeira divisão francesa. Em termos pessoais infelizmente a minha lesão em março (dupla fratura na mão) num momento alto da época em que lutava pelo pódio dos melhores marcadores do Campeonato, e que me obrigou a falhar a final da Taça e 8 jogos do Campeonato.

 

O que espera a nível pessoal para 2019?

A nível pessoal para 2019 espero melhorar cada vez mais em todos os níveis, conseguir marcar cada vez mais golos e conseguir terminar a época em forma. Depois para a segunda metade do ano, o destino decidirá. Mas sempre com muita saúde, que para mim é o mais importante.

 

O que espera que possa mudar a nível mundial em 2019?

A nível mundial gostava que 2019 trouxesse menos racismo, mais condições de trabalho para todos e mais, muito mais, positivismo para todos. Que a saúde esteja sempre lá e o resto chegará por acréscimo. Feliz 2019 para todos!

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
8.4
X