Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O contingente de lusodescendentes ficou reduzido a apenas um jogador, Raphaël Guerreiro, para os dois confrontos da Seleção portuguesa, frente à Croácia, empate a uma bola, e na segunda-feira frente à Itália.

O Selecionador Fernando Santos conta apenas, no leque de jogadores que tem, com o lusodescendente Raphaël Guerreiro, que atua no Borussia Dortmund na Alemanha. Os dois outros jogadores franco-portugueses Anthony Lopes e Adrien Silva não foram convocados.

Esta convocatória que trazia várias mudanças – Cristiano Ronaldo está ausente – tem por objetivo aumentar o leque de opções para a Seleção portuguesa. Quer dizer que para os próximos jogos em outubro, Fernando Santos terá ainda mais jogadores à sua disposição e poderá, ou não, voltar a chamar os dois lusodescendentes.

No entanto não deixa de ser curioso que nem um nem outro terem sido convocados, visto que, quer Anthony Lopes quer Adrien Silva, têm atuado pelos seus respetivos clubes, Lyon e Leicester.

Por outro lado, jogadores como João Moutinho, que trocou o Monaco pelos ingleses do Wolverhampton, ou ainda Ricardo Quaresma, Nani, Ricardo Pereira e José Fonte, este último atuando agora pelos franceses do Lille, também não integraram esta primeira convocatória pôs-Mundial.

Certo é que o guarda-redes Anthony Lopes, que conta com menos de dez internacionalizações, esteve presente na caminhada para o título no Euro-2016 e no Mundial-2018. Enquanto Adrien Silva, que atuou mais de 25 vezes com a camisola das Quinas, também esteve presente nas duas últimas grandes competições a nível europeu e mundial.

 

Empate com a Croácia sem Raphaël Guerreiro

Portugal defrontou, num jogo amigável, a Croácia, vice-Campeã do mundo, no Estádio Algarve, e empatou a uma bola. Ivan Perisic, aos 18 minutos, marcou primeiro para os croatas, e Pepe igualou, aos 32 minutos, no seu jogo 100 na Seleção portuguesa.

De notar que o único lusodescendente Raphaël Guerreiro não disputou este encontro devido a uma mialgia numa perna, informou a assessoria da Federação Portuguesa de Futebol.

No entanto houve “franceses” dentro das quatro linhas e no banco de suplentes. O avançado do Monaco, Rony Lopes, entrou no decorrer da segunda parte, enquanto Pedro Mendes, defesa-central do Montpellier, ficou no banco de suplentes.

No fim do encontro Rony Lopes falou à imprensa: “Não estou completamente satisfeito porque queríamos a vitória e não conseguimos. Mas foi bom para mim ter feito a segunda aparição na Seleção nacional, acho que foi uma boa noite, mas não estou completamente satisfeito. Há um ambiente muito bom. Todos os jogadores que estão aqui já se conhecem há algum tempo, desde as Seleções jovens. O ambiente é fantástico e os jogadores mais velhos tentam passar a experiência para os mais novos. Este grupo tem muita qualidade para alcançar boas coisas. Faço o meu trabalho, sei do que sou capaz e do que tenho de melhorar. Vou continuar a trabalhar e as decisões não sou eu que as tenho de tomar”, concluiu.

De notar que a Seleção portuguesa conta ainda com três jogadores que atuaram em França: Bernardo Silva, que jogou pelo Monaco, foi titular; Sérgio Oliveira, que representou o Nantes, entrou no decorrer da segunda parte; e Gonçalo Guedes, que passou pelo Paris Saint Germain, ficou no banco de suplentes.

Portugal, que se estreia na segunda-feira na Liga das Nações diante da Itália, no Estádio da Luz, em Lisboa, não contou neste particular com Cristiano Ronaldo, dispensado pelo Selecionador Fernando Santos, e viu Sérgio Oliveira e Gedson Fernandes estrearem-se.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
9.2
X