Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A Seleção Portuguesa Sub-21 empatou (0-0) frente à Eslovénia, no Estoril, em encontro de preparação.

A estatística ajuda a explicar a história do jogo e deixa clara a ideia de domínio total de uma equipa nacional que teve 84% de posse de bola e fez 24 remates à baliza adversária (contra apenas 4 dos eslovenos).

Para além de ter criado as melhores oportunidades do encontro, a formação orientada por Rui Jorge manteve sempre a sua identidade vincada, mesmo depois das 8 substituições ao intervalo.

Num teste competitivo, em que a seleção portuguesa se deparou com alguns dos problemas que enfrentará na Noruega, merecem também nota de destaque as estreias de Luís Maximiano, Tomás Tavares, Florentino, Tiago Djaló, Fábio Vieira e Pedro Pereira como internacionais sub-21.

 

Tiago Djaló realizou sonho

O defesa do Lille, Tiago Djaló, tinha assumido que seria um sonho vestir a camisola da Seleção Sub-21, em declarações à imprensa.

De notar que no Lille, Tiago Djaló, tem a companhia dos compatriotas Xeka, Renato Sanches e sobretudo José Fonte, sendo que o experiente central internacional português tem sido uma grande ajuda nesta primeira temporada do jovem no emblema francês.

“É um bom jogador e boa pessoa. Tem-me ajudado bastante desde que cheguei ao Lille e dado bastante confiança. Ajuda-me a ser melhor jogador e só tenho de lhe agradecer. Espero que, no futuro, possamos fazer boas coisas juntos”, disse.

Portugal defronta a Noruega a 19 de novembro, em Drammen, num jogo a contar para o grupo 7 de qualificação para o Campeonato da Europa de 2021.

Após três jogos realizados, Portugal é segundo classificado do grupo 7 de qualificação para o Euro2021, com seis pontos, menos três do que a líder Holanda e mais um do que a terceira colocada, Bielorrússia, que tem mais um jogo. Já a Noruega está na quarta posição, com quatro pontos.

Com Federação Portuguesa de Futebol e Lusa

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 0 Votos
0.0
X