Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O canal de televisão Arte anunciou hoje que vai programar a minissérie portuguesa “A Herdade” (em francês “Le Domaine”), de Tiago Guedes, no próximo dia 11 de junho, a partir das 20h55.

A minissérie tem três episódios de 58 minutos cada um e a Arte vai passar os três episódios na mesma noite, mas entre os dias 4 de junho e 10 de julho, o canal de televisão vai disponibilizar os três episódios no site arte.tv

Trata-se da saga de uma família proprietária de um dos maiores latifúndios da Europa, na margem sul do rio Tejo, que nos convida a mergulhar profundamente nos segredos da sua herdade, fazendo o retrato da vida histórica, política, social e financeira de Portugal, dos anos 40, atravessando a Revolução do 25 de Abril e até aos dias de hoje.

“O cenário funciona quase como uma metáfora de tudo o que se passa com o nosso personagem principal, um homem carismático, daqueles maiores do que a vida. Ambos, o homem e a terra, começam grandiosos, imperiais, mas com o decorrer dos eventos vão revelando as imperfeições, as zonas cinzentas, e tanto um como o outro se começam a desmoronar” diz o realizador Tiago Guedes.

“A Herdade funciona quase como uma enorme ilha dentro de um país dominado por uma ditadura fascista. Uma espécie de reino dominado por um carismático príncipe anarquista e progressista. Mas que inevitavelmente chocará de frente com a vontade de mudança de um povo. Um confronto com as mudanças da história, com a passagem dos tempos” diz o realizador, que afirma gostar de filmar essas “transformações humanas e territoriais”.

O filme, produzido por Paulo Branco, que depois deu também origem à minissérie de televisão, tem um elenco rico em atores, com o carismático Albano Jerónimo no papel principal (já é conhecido em França pela sua participação em “Les Lignes de Wellington”), mas também com Sandra Faleiro, Miguel Borges, João Vicente, João Pedro Mamede, Ana Vilela da Costa, Rodrigo Tomás, Beatriz Brás, Teresa Madruga, Diogo Dória, Ana Bustorff e muitos outros.

O filme foi coproduzido pelas empresas de Paulo Branco, Alfama Films Production e Leopardo Filmes, com a participação da Arte France, do Instituto do Cinema e Audiovisual, do Fundo de Apoio ao Turismo e Cinema e da RTP, canal onde aliás a minissérie foi difundida no ano passado.

Antes de ser difundido na Arte, “A Herdade” foi já programada no Festival de cinema de Venise, no Festival internacional de cinema de Toronto, foi nomeado para os Oscars 2020 e para os Prémios Goya 2020 em representação de Portugal, e participou ainda na 34ª edição da Mostra de Valencia, no Festival de cinema de Göteborg 2020, no Festival de Dublin 2020, na 25a edição do Vilnius Kino Pavasaris, no Festival internacional del Nuevo Cine Latinoamericano de La Habana, no Minsk International Film Festival Listapad, no Tallin Black Night Film Festival – PÖFF, no Macau Film Festival, no La Habana Film Festival e no European Union Showcase a Washington DC.

 

Cultura
X