Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O Tour de l’Avenir – Volta a França do Futuro – começou na quinta-feira 15 de Agosto com a primeira etapa com partida e chegada em Marmande numa distância de 129 km. O melhor português acabou por ser Gonçalo Carvalho que terminou no 51° lugar e escapou à queda colectiva na qual estiveram envolvidos três ciclistas lusos.

Uma primeira etapa muito tensa e com uma aparatosa queda nos últimos quilómetros. O Dinamarquês Mathias Norsgaard Jørgensen triunfou isolado com 52 segundos de vantagem sobre o pelotão, comandado pelos Britânicos Ethan Hayter e Thomas Pidcock, respetivamente segundo e terceiro.

De referir que a queda deu-se fora da zona de proteção dos 3 quilómetros finais, mas, tendo em conta que envolveu mais de 30 corredores, a organização, em conjunto com o colégio de comissários, optou por atribuir aos acidentados o mesmo tempo do pelotão principal.

A violenta queda coletiva afetou três dos seis portugueses em prova: Afonso Silva, Guilherme Mota e Marcelo Salvador.

Marcelo Salvador, segundo o boletim clinico da Seleção Portuguesa, sofreu um traumatismo crânio-encefálico. O corredor foi transportado para o hospital onde está internado, em observação. Está afastado da prova. Quanto a Afonso Silva e Guilherme Mota vão ser reavaliados nesta sexta-feira.

Ainda no que diz respeito à primeira etapa, com as quedas, o melhor português acabou por ser Gonçalo Carvalho que terminou no 51° lugar a 52 segundos do vencedor.

Em declarações ao LusoJornal, Gonçalo Carvalho contou-nos o dia complicado que teve a Seleção Portuguesa: «Um dia azarado para os tugas, com três dos compatriotas a caírem nos últimos 4kms e a ficarem mal tratados. Desejo rápidas melhoras aos três. Quanto a mim, boas sensações, mas devido à queda, não cheguei com o pelotão», afirmou o ciclista que tem objetivos claros: «Venho com o intuito da geral, um top-15 seria magnífico», rematou.

A segunda etapa do Tour de l’Avenir, nesta sexta-feira, será o primeiro grande teste à capacidade das 26 equipas participantes. Trata-se de um contrarrelógio coletivo de 32 quilómetros, entre Eymet e Bergerac, que marcará, por certo, diferenças significativas na classificação geral individual.

Etapas do Tour de l’Avenir:

15 de agosto: Marmande-Marmande, 129 km (Plana)

16 de agosto: Eymet – Bergerac, 32 km (Contrarrelógio por Equipas)

17 de agosto: Montignac/Lascaux – Mauriac, 162 km (Média montanha)

18 de agosto: Mauriac – Espalion, 158 km (Média montanha)

19 de agosto: Espalion – Saint-Julien-Chapteuil, 159 km (Média montanha)

20 de agosto: Saint-Julien-Chapteuil – Privas, 124 km (Ondulada)

21 de agosto: Dia de descanso

22 de agosto: Grésy-sur-Isere – La Giettaz, 104 km (Média montanha)

23 de agosto: Brides-les-Baisn – Méribel Col de la Loze, 23 km (Etapa em linha curta/Montanha)

24 de agosto: Villaroger – Tignes, 67 km (Alta Montanha)

25 de agosto: Saint-Colomban-des-Villards – Le Corbier, 78 km (Alta montanha)

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
6.8
X