Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Vanina Guerrilot, com um 38º lugar na prova de slalom, e Manuel Ramos, no 55º posto, fecharam a participação de Portugal nos mundiais de juniores de esqui alpino, em Val di Fassa, na Itália.

O Diretor técnico nacional, Sérgio Figueiredo, acreditava ser possível obter melhores resultados, mas sublinha que ambos os atletas lusos têm apenas 16 anos, muita margem de progressão, e competiram com muitos esquiadores com mais quatro anos, que disputaram uma semana antes o Mundial absoluto, em Are, Suécia.

“Os resultados são os possíveis. Temos de ter em consideração que o nível estava bem elevado e surpreendeu-me o número elevado de participantes”, disse à Lusa Sérgio Figueiredo.

Vanina Guerillot de Oliveira estava inscrita em quatro disciplinas, mas apenas terminou a prova de slalom, no 38º lugar, entre 49 atletas que cortaram a meta.

No slalom gigante, a portuguesa, a residir em França, caiu na primeira manga e também não terminou a competição de super gigante e de combinado alpino, pelo mesmo motivo.

Por seu lado, Manuel Ramos também caiu no slalom gigante e não concluiu a primeira ronda de qualificação.

Na tarde do último dia, no slalom, o covilhanense foi 55º entre 148 participantes, depois de ser o antepenúltimo a partir, o que o penalizou, sublinhou o Diretor técnico nacional, explicando que “as condições da pista já não são as mesmas”.

Apesar de entender que os resultados podiam ter sido melhores, Sérgio Figueiredo destaca a importância de estar presente numa prova na qual é possível ganhar experiência e acumular pontos da Federação Internacional de Esqui (FIS) para o apuramento para os Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude Lausanne2020.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
6.9
X