Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A companhia aérea francesa Aigle Azur, em processo de falência desde 2 de setembro, informou que recebeu 14 manifestações de interesse ou propostas de compra e fusão. No entanto segundo as informações recolhidas, nenhuma delas prevê a compra da totalidade do grupo. O que põe em risco o emprego de cerca de 1 150 pessoas.

De notar que uma das propostas é da Air France. Segundo as informações divulgadas por vários meios de comunicação, a Air France pagaria 15 milhões de euros pela Aigle Azur, contrataria cerca de 800 pessoas e os slots (direitos de descolagem/aterragem) no Aeroporto de Orly seriam transferidos para a companhia francesa.

Bem posicionado também se encontra o Groupe Dubreuil, que conta com a Air Caraïbes, a French Bee e a Hi Line Cargo.

De referir que a EasyJet e a Vueling também fizeram propostas mas terão sobretudo mostrado interesse em certas operações da Aigle Azur.

A próxima audiência para tratar do futuro da Aigle Azur no Tribunal Comercial de Evry, arredores de Paris, decorrerá em 16 de setembro.

Recorde-se que a companhia aérea Aigle Azur cancelou todos os voos a partir de sábado 7 de setembro, devido a problemas financeiros, o que incluía todos os voos para e a partir de Portugal.

Num comunicado no seu ‘site’, que não está a funcionar (apenas mostra o anúncio), a companhia aérea referiu que “a sua situação financeira e as consequentes dificuldades operacionais não permitem continuar a assegurar voos” a partir de 7 de setembro.

Entre os voos suspensos estão ligações a Portugal, Mali, Brasil e Ucrânia, sendo que a companhia aérea não pode garantir a devolução do dinheiro dos bilhetes marcados para datas posteriores a sábado.

A transportadora francesa voava para os aeroportos de Faro, Funchal e Porto, em Portugal.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 2 Votos
4.5
X