Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

72 colaboradoras do Banque BCP participaram na «Parisienne» pelo 10° ano

Banque BCP Banque BCP Banque BCP Banque BCP LusoJornal | Carlos Pereira LusoJornal | Carlos Pereira LusoJornal | Carlos Pereira Banque BCP Banque BCP Banque BCP Banque BCP
Empresas

 

Milhares de mulheres correram este domingo nas ruas da capital, naquela que é a corrida mais mediatizada da recolha de fundos para a luta contra o cancro da mama e entre as atletas, correram 72 colaboradoras do Banque BCP.

Esta foi a 10ª participação do banco franco-português nesta prova e não faltou um bolo de aniversário compartilhado pelas participantes, pelos colaboradores do banco que foram apoiar a equipa feminina, pela atleta de alta competição Nélia Barbosa e pelos dois outros parceiros do Banque BCP nesta operação, a empresa Central Pose e a Império Assurances, representadas respetivamente por Artur Machado e Diogo Teixeira.

Desde as 8h00 da manhã que as atletas do banco se juntaram, equipadas a rigor – este ano de cor-de-rosa – para a tradicional fotografia de grupo, tirada com a Tour Eiffel em pano de fundo. Depois dirigiram-se para o ponto de partida, na ponte sobre o rio Sena e iniciaram a prova em direção dos Champs-Elysées, da praça da Concorde, atravessaram para o Champs-de-Mars e regressaram ao ponto de partida. O percurso tem 7 km, mas houve quem se inscrevesse na prova de 10 km, e, nesse caso, as atletas deram também a volta ao Museu do Louvre.

Pouco importa a classificação de cada uma das atletas, neste caso, o fundamental foi participar e receber a medalha de quem corta a meta.

“Este ano temos 72 colaboradoras na prova, mas também algumas filhas de colaboradoras ou então mulheres de colaboradores. É uma participação um pouco mais acima da média que temos tido habitualmente” disse ao LusoJornal Jean-Philippe Diehl, Presidente do Diretório do Banque BCP, enquanto esperava pela chegada das primeiras participantes.

No seu conjunto, o Banque BCP tem pouco menos de 500 colaboradores em todo o país, cerca de metade das quais são mulheres. Algumas das participantes vieram de Nice, Lyon e Lille. “O número de participantes em relação ao número de colaboradores é maior do que em grandes empresas que encontramos aqui, com efetivos muito grandes, mas cuja participação é proporcionalmente bem mais pequena do que nós” afirma Jean-Philippe Diehl. “Estamos muito contentes com esta participação”.

Tanto mais que em 2020 a prova teve de ser anulada e em 2021 o Banque BCP considerou que não tinha ainda reunidas as condições sanitárias para integrar a prova. “A corrida foi anulada e no ano passado nós não participámos, mas nesses dois anos, nós continuámos a fazer donativos para a Fondation pour la Recherche Médicale. A investigação não podia parar durante a pandemia” disse o Presidente do Directoire do banco.

Este foi então o ano do regresso do Banque BCP à La Parisienne. “Para marcarmos este nosso regresso e os 10 anos de participação, decidimos, com os nossos parceiros Artur Machado da Centralpose e Diogo Teixeira da Império Assurances, duplicar excecionalmente o donativo à Fondation pour la Recherche Médicale. Este ano vamos dar 20.000 euros” explicou Jean-Philippe Diehl.

Esta é também uma oportunidade para os dirigentes do banco dinamizarem os seus colaboradores. Os principais quadros do banco estavam presentes no stand, assim como a atleta de alta competição Nélia Barbosa, Vice-Campeã Paraolímpica de Kayak, em Tóquio, e também Vice-Campeã mundial.

A atleta é patrocinada pelo Banque BCP e transmitiu às colaboradoras do banco mensagens de motivação, aconselhando-as a praticarem desporto.

 

Donativos LusoJornal
X