LusoJornal | Mário Cantarinha

Aguarelas de Nathalie Afonso levam trajes tradicionais portugueses ao Consulado de Paris

Cultura

 

A artista franco-portuguesa Nathalie Afonso inaugurou na sexta-feira passada, dia 16 de dezembro, no Consulado Geral de Portugal em Paris, a exposição “Lusitânia”, que vai permanecer na Chancelaria, no espaço Nuno Júdice, até ao próximo dia 31 de janeiro.

As obras estiveram recentemente expostas na Mairie de Paris 7, altura em que também foi lançado o livro de arte, com edição limitada, com reproduções das obras apresentadas na exposição, e intitulado “Du Nord au Sud, Portugal mon amour”.

Trata-se de uma exposição inteiramente dedicada às tradições portuguesas, no seguimento de um desafio de Joaquim Barros: durante um mês, a artista realizava todas as manhãs, ao pequeno-almoço, uma aguarela sobre trajes portugueses, do norte ao sul de Portugal. O livro, por sua vez, reúne o conjunto das aguarelas, e foi editado com o apoio de alguns empresários portugueses da região de Paris, numa edição limitada de 750 exemplares, cozidos à mão, com a cumplicidade do fotógrafo Vítor Roriz, de Viana do Castelo, e do grafista Rui Carvalho.

“Estou muito contente por aquilo que vejo. Gostei muito da exposição, gostei pela qualidade dos trabalhos, mas também pelo tema escolhido porque, de certa maneira, fez-nos viajar por Portugal” disse no momento da inauguração o Cônsul-Geral de Portugal em Paris. Carlos Oliveira estava acompanhado pelo Cônsul-Geral Adjunto, Filipe Ortigão e pelo Adido Social do Consulado, Miguel Costa.

Para além da artista, estavam também presentes vários representantes de grupos folclóricos da região parisiense, devidamente trajados.

O Cônsul-Geral Carlos Oliveira agradeceu aos elementos dos grupos de folclore, lamentou não haver atualmente tantos eventos folclóricos, depois da pandemia, e disse que aprecia muito esta atividade “porque valoriza a nossa cultura, valoriza as nossas raízes”.

Nathalie Afonso confessou ao LusoJornal que “esta exposição fica marcada no meu coração” e agradeceu a todos quantos se juntaram a ela para a inauguração. “É uma exposição que toca toda a gente, todo o Portugal está reunido nestas aguarelas e isso é muito importante” disse ao LusoJornal.

Quem visitar a exposição, até final de janeiro, pode fazer encomendas das aguarelas, mas também do livro. A artista prevê passar alguns momentos no Consulado e anuncia que vai integrar um grupo de pessoas que vai cantar as “Janeiras” no posto consular.

Nathalie Afonso anunciou também que vai ser convidada de honra, no próximo verão, das Festas de Viana do Castelo e das Festas de Viseu, no seguimento da edição do livro “Du Nord au Sud, Portugal mon amour”.

O cantautor Dan Inger dos Santos cantou alguns temas no momento da inauguração, terminando com a “Grândola, Vila Morena”, entoada em coro pelos presentes.

“Eu quero que este espaço seja tão aberto quanto possível, o Consulado não pode ser apenas um sítio onde se faz o Cartão do cidadão, tem de ser também este espaço de todos nós” remata o Cônsul Carlos Oliveira.

 

Donativos LusoJornal