Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O fadista português mais premiado de sempre, apresenta-se para um concerto único em Paris, este sábado, dia 4 de novembro, no Grand Rex, em Paris. E o LusoJornal apurou que ainda há bilhetes à venda.

Com 77 anos de idade, Carlos do Carmo, sobe aos palcos com objetivo de agradecer e retribuir ao público todo o carinho e afeto que sempre recebeu ao longos dos seus 53 anos de carreira e que o transformaram no “Homem do Mundo”.

Carlos do Carmo é considerada uma das maiores figuras vivas do panorama fadista e os prémios que recebeu recentemente mostram isso mesmo: Prémio Goya, Grammy na Categoria “Lifetime Achievement”, Personalidade do Ano Martha de La Cal, entre tantos outros.

Definido nos medias como “um dos cantores mais importantes do seu tempo (…) Uma das vozes mais emblemáticas da música Portuguesa”, esta é uma oportunidade a não falhar em Paris.

Carlos do Carmo nasceu em Lisboa. Filho de Lucília do Carmo, uma das maiores fadistas do século XX, e de Alfredo de Almeida, livreiro e posteriormente empresário na indústria hoteleira. Pode dizer-se que Carlos do Carmo cresceu numa atmosfera artística.

Iniciou a sua carreira artística em 1964 embora tivesse gravado um disco aos nove anos.

Foi o criador de uma grande quantidade de êxitos: “Canoas do Tejo”, “Por morrer uma andorinha”, “Os Putos”, “O Homem das Castanhas”, “Lisboa Menina e Moça”, “Duas Lágrimas de Orvalho”, “Bairro Alto”, “Um Homem na Cidade”, entre tantos outros.

Fez inúmeras digressões e atuou em vários países, passando pelo Olympia de Paris, Óperas de Frankfurt e Wiesbaden, o Canecão do Rio de Janeiro, Savoy de Helsínquia e por outras cidades, como São Petersburgo, Copenhaga, Macau ou São Paulo. A nível nacional destacam-se os concertos na Fundação Gulbenkian, Mosteiro dos Jerónimos, Torre de Belém, Casino Estoril, CCB e Coliseu.

Globo de Ouro de Mérito e da Excelência, Prémio da Consagração de Carreira da Sociedade Portuguesa de Autores, Ordem do Infante D. Henrique, em 2008, recebeu o Prémio Goya para a Melhor Canção Original, com o “Fado da Saudade”. A canção faz parte da banda sonora do filme “Fados”, de Carlos Saura.

Em 2011 participou como cabeça de cartaz no primeiro Festival de Fado em Madrid. Integrou também a equipa coordenadora da Candidatura do Fado a Património Cultural Imaterial da Humanidade.

Tem colaborações com alguns dos principais músicos e artistas portugueses, dos quais destacamos Bernardo Sassetti, Maria João Pires, António Vitorino d’Almeida, José Cid, Sam the Kid, Sérgio Godinho, Rui Veloso, entre outros.

Em 2015 com 50 anos de carreira na bagagem, recebeu a distinção “Excelência Musical – Lifetime Achievement” atribuído pela Latin Recording Academy, sendo até data o único Grammy conquistado por um artistas português.

 

Sábado, 4 de novembro, 21h00

Grand Rex

1 boulevard Poissonnière

75002 Paris

Infos: 08.92.68.36.22

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 4 Votos
7.9
X