Álbum em francês é grande projeto para David Alexandro em 2020

David Alexandro, cantor, intérprete, compositor e produtor português, fez o ‘seu’ balanço de 2019, durante o qual lançou o seu álbum “Sentimentos”, e projetou 2020 esperando publicar um álbum em francês.

O artista, que nasceu a 25 de abril de 1968, admitiu que o ano de 2019 acabou por ser um ano repleto de eventos. Para 2020, além de um álbum em francês, David Alexandro espera que as tensões e conflitos mundiais sejam resolvidos, e que também haja uma atenção particular para a ecologia e o ambiente.

 

O que mais o marcou em 2019?

2019 foi para mim um ano muito rico. Publiquei o meu novo álbum “Sentimentos” e dediquei-me ao seu lançamento: apresentação ao vivo em várias associações nomeadamente a associação Gaivota e a Association d’Amitié Franco-Portugaise de Villiers -sur -Marne, difusão do ‘single’ em várias estações de rádio e informação no LusoJornal.

Participei em diferentes eventos sempre acompanhado e apoiado com grande carinho: inauguração da Casa de Portugal de Champigny, o Téléthon em Montreuil, a nova associação AFPAC de Champigny para a qual fui convidado a ser um dos padrinhos, convite de que me sinto muito orgulhoso.

 

O que espera a nível pessoal para 2020?

Para 2020 já tenho alguns projetos e espero poder concretizá-los. Desde já vou apresentar em fevereiro o novo álbum em várias cidades brasileiras (S. Paulo, Portalegre, Santos, Rio de Janeiro).

Neste momento estou a preparar a gravação do álbum em francês que será publicado espero, antes do próximo verão.

Mas nada se faz sem saúde; como todos, é claro que espero para 2020 ter saúde e energia para realizar os meus projetos.

 

O que espera que possa mudar a nível mundial em 2020?

Não serei certamente muito original; desejo que 2020 seja um ano de paz, que as tensões e conflitos sejam resolvidos e que haja avanços significativos na resolução dos problemas ecológicos que enfrenta o nosso planeta.

Espero também que o amor e o romantismo estejam presentes nas nossas vidas.

 

Cultura