Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O Instituto franco-brasileiro Alter’Brasilis, no âmbito do seu Ciclo Amazónia, apresenta um documentário de Malu de Martinho intitulado «Margaret Mee e a Flor da Lua», esta sexta-feira, dia 22 de junho, às 20h30.

«Margaret Mee e a Flor da Lua» é um documentário sobre a vida e obra da pioneira e visionária ilustradora botânica inglesa Margaret Mee, uma das mais relevantes artistas do século XX.

Nascida em 1909 na Inglaterra, Margaret Mee foi aos 42 anos para o Brasil, em 1952, e aos 47 anos começou a explorar a floresta amazónica e estudou e pintou a flora brasileira durante os 30 anos seguintes. Durante esses anos fez quinze expedições à floresta amazónica e deixou, segundo uma nota do Instituto, «uma importante herança iconográfica e artística. As suas ilustrações são, ainda, uma preciosa fonte de investigação para a ciência botânica». Chegou a descobrir e a registar algumas espécies de plantas que ainda hoje têm o seu nome. Em novembro de 1988 regressou a Inglaterra para uma grande exposição na Royal Botanic Gardens e morreu de um acidente de carro a 30 de novembro desse mesmo ano.

A técnica de ilustração da artista é reconhecida internacionalmente e as suas obras estão presentes em importantes coleções no Brasil mas também nos Estados Unidos, Inglaterra e França.

O filme retraça os caminhos de Margaret Mee até à flor da lua e comporta testemunhos e excertos dos seus diários nos quais demonstra o seu amor pela natureza e ainda a sua militância ecológica, o seu vanguardismo e a sua defesa da necessidade da preservação do meio ambiente e da flora brasileira.

Para além da projeção do documentário o Instituto Alter’Brasilis propõe um encontro com o ilustrador naturalista e científico Julien Norwood que fará uma apresentação do seu trabalho.

O artista parisiense começou desde muito cedo a interessar-se pela natureza e a desenhá-la. As suas viagens em França e pelo mundo fora permitem-lhe aprofundar a sua dupla atividade de naturalista e ilustrador. Aos 18 anos esteve um mês no parque d’Iguazu, na Argentina, onde fez a descoberta da fauna e da flora da América tropical. Fez, entretanto, uma formação de 8 anos no Muséum National d’Histoire Naturelle em Paris e foi trabalhando nas suas obras iniciais como «Viagem ao Brasil» em 2003 e «Les oiseaux du Muséum, voyage à travers les collections» em 2004. Trabalha atualmente enquanto ilustrador freelance, e escreveu e colaborou em mais de quarenta livros, publicações e cartazes sobre a natureza como tema de fundo.

O Instituto Alter’Brasilis existe desde 2010 e tem como principal objetivo a difusão da cultura brasileira em França e a promoção da língua portuguesa. Para além das aulas de português, o Instituto organiza colóquios e manifestações culturais e artísticas que vão desde a literatura ao cinema.

Entrada livre

Inscrições por email: culturel@alterbrasilis.com

 

Institut Franco-Brésilien Alter’Brasilis

2 rue de Turenne

75004 Paris

www.alterbrasilis.com

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 2 Votos
7.5
X