Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

“Amizade e Sorrisos” organizou dois dias de festa em Clamart

LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha

No fim de semana passado, a Associação Amizade e Sorrisos organizou duas festas na Sala municipal da Place Hunebelle, em Clamart (92): no sábado à noite, dia 22, a partir das 19h30, teve lugar um jantar seguido de baile, animado pelo agrupamento musical Enigma e no domingo teve lugar um Festival de folclore.

“Como estamos ainda em férias escolares, pensámos que íamos ter pouca gente, mas felizmente a sala estava cheia” conta ao LusoJornal Maria do Sameiro Marques, a Presidente da associação. “Tudo correu para além das nossas espectativas e, graças a Deus, só no sábado atingimos o objetivo do fim de semana”.

Quem reservou para jantar comeu Tripas à moda do Porto confecionadas pelos voluntários da associação. “As pessoas nem imaginam o trabalho que está por detrás destes eventos” diz a Presidente da coletividade, entrevistada pelo LusoJornal. “No sábado saímos daqui às 5h00 da manhã e uma parte da organização já cá estava novamente no domingo às 8h00”.

No Festival de folclore de domingo participaram os grupos Académica de Champigny, Os Campinos de Montgeron, Ceifeiras do Minho de Chelles, Juventude de Villeneuve-le-Roi, Herdeiros do Minho de Neuilly-Plaisance e o grupo da casa, Amizade e Sorrisos de Clamart. A animação esteve a cargo de Dj Joliver.

No domingo a sala também encheu e Maria Marques diz que a associação de Clamart “é cada vez mais uma referência”.

Aliás Maria Marques recebeu recentemente a Medalha de Bronze atribuída pelo Serviço de Juventude, Desporto e Vida Associativa da Préfécture de Hauts-de-Seine. “Confirmo que recebi o diploma pelo correio, sem ter pedido nada e sem estar a contar com este reconhecimento” disse Maria Marques ao LusoJornal. “Até parece pretensioso da minha parte estar a dizer isto. Costumo dizer que para termos valor não temos de ser nós a darmos valor ao que fazemos, mas têm de ser as pessoas de fora”. E acrescentou que “é bonito e fiquei contente, não posso dizer que não. Ainda tem mais valor por eu nem estar a contar”.

Para este evento, e para praticamente todos os outros, a associação portuguesa teve o apoio da autarquia de Clamart.

 

LusoJornal Artigos
X