Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Na décima segunda jornada do Campeonato francês da primeira divisão de andebol, a StarLigue, o Pontault-Combault do guarda-redes luso João Moniz venceu, em casa, por 28-27 o Dunkerque do internacional português Wilson Davyes, este último não apontou nenhum tento neste encontro.

O LusoJornal falou com Wilson Davyes, cuja a equipa está a atravessar uma fase complicada nesta temporada.

Foi uma surpresa esta derrota para si?

Na palestra antes do jogo o Treinador disse ‘cuidado este jogo pode tornar-se complicado’. Isto porque o Pontault estava no último lugar e ninguém espera nada deles, mas eles vão querer mostrar que têm qualidade e foi isso que aconteceu. Não conseguimos nos impôr na defesa, e isso acabou por lhes dar força. Não controlámos nenhuma fase do jogo, e os últimos cinco minutos foram fatais, sendo o reflexo do jogo todo. Há que dizer que tudo se joga numa última bola, em que falhámos um contra-ataque. Tínhamos a possibilidade de empatar, mas acho que a vitória do Pontault acaba por ser justa.

O Dunkerque mostrou em alguns momentos do jogo que era superior?

Fomos inconstantes no jogo. Para ganhar na StarLigue é necessário constância. Há que ser constante. Não conseguimos sê-lo, o Pontault acreditou e acabou por vencer. São percalços que acontecem. Mas ainda faltam muitos jogos. Agora temos de nos preparar para o jogo da Taça de França que não vai ser fácil, e sobretudo temos de nos preparar para o último jogo do campeonato este ano, em casa, frente ao Tremblay. Nada é posto em causa, e há que trabalhar e seguir em frente.

O Dunkerque devia ter alcançado dois triunfos nos dois últimos encontros?

Teoricamente tínhamos de ter arrecadado quatro pontos nos últimos dois jogos. Mas é a realidade do terreno que dita a verdade. E não fomos suficientemente bons para vencer os dois encontros. Agora nada está perdido. Temos de continuar a trabalhar e a acreditar.

Os lugares que dão acesso às competições europeias na próxima temporada começam a ficar longe?

É verdade que já há uma certa distância com equipas, como o Chambéry, que normalmente estariam a lutar connosco pelo quinto ou sexto lugar, agora nada é impossível e ainda faltam 14 jogos. Tanta coisa pode acontecer. Pode lhes acontecer o que nos acontece neste momento, e nós podemos fazer uma segunda parte de campeonato como eles fizeram a primeira. A nossa equipa tem qualidade, e sobretudo força mental para fazer isso.

Depois do Tremblay, são dois meses sem jogos, até Fevereiro de 2019, qual é a sua opinião sobre esta paragem no campeonato de andebol?

Eu tenho a certeza que vai ser benéfico, porque chega uma altura em que a cabeça e o corpo precisam de descansar. Acho que isso vai nos fazer bem, mas antes disso temos ainda dois jogos, um para a Taça, outro para o campeonato. São importantes e podem dar o tónico para o que será a nossa segunda volta no campeonato. Espero que vamos fazer nestes dois jogos o que não fizemos nos últimos.

Com este resultado, a equipa de Wilson Davyes desceu para o nono lugar com nove pontos, enquanto a equipa da Região parisiense permanece no 13° agora com quatro pontos. Na liderança da StarLigue está o Paris Saint-Germain com 23 pontos.

A 13ª jornada do Campeonato francês da primeira divisão de andebol decorre na quarta-feira 19 de dezembro para os protagonistas lusos. O Pontault-Combault de João Moniz desloca-se ao terreno do Toulouse, o Dunkerque de Wilson Davyes recebe o Tremblay de Pedro Portela, enquanto o Saint Raphaël do Treinador luso-francês Joël da Silva recebe o Istres.

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 4 Votos
9.2
X