Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

André Ventura foi à “Festa do Fiel Emigrante” organizado por José Dias Fernandes em Neves

LusoJornal | José Rego LusoJornal | José Rego LusoJornal | José Rego LusoJornal | José Rego
Comunidade

 

No passado domingo, dia 7, na quinta de José Dias Fernandes, no lugar das Neves, Concelho de Viana do Castelo, pela primeira vez, teve lugar um evento com almoço em honra do “Fiel Emigrante”.

Um feito a lembrar os compatriotas emigrantes que após um ano de labuta longe da terra natal, acorreram às suas raízes para matar saudades.

Participaram 376 compatriotas vindos de associações portuguesas de Paris e de horizontes diversos europeus, Londres, Andorra, Neuchâtel e também de Viana do Castelo.

O almoço, que tinha por cardápio o Bacalhau – porque foi organizado pela Fundação do Fiel Amigo “O Bacalhau” – decorreu em grande pompa no pavilhão e jardins anexos com exposição de carros, motas e bicicletas do século passado, tratores quase centenários, grupo musical em palco, atuação do Rancho Folclórico de Vila Franca do Lima e diversos entretimentos. Além de porco no espeto, não faltaram também bebidas, frutos vários da época e da típica doçaria minhota.

Durante o “querido mês de agosto”, a diáspora portuguesa em férias, mesmo sentindo-se “esquecidos” pelas instâncias políticas nacionais, desfrutaram em bom ambiente dos valores alcançados em terras estrangeiras. A diáspora portuguesa enviou para Portugal 3.677 biliões de euros em remessas durante o ano 2021. Só no passado mês de maio, as remessas atingiram quase 90 milhões de euros.

Sentindo que a emigração portuguesa, que ronda os 5 milhões de Portugueses, “está longe de ser reconhecida”, ao fim dessa tarde festiva André Ventura, Presidente do partido Chega, acompanhado de quatro dos seus Deputados na Assembleia da República, chegou, alcançou um acolhimento sem igual pelo incalculável número de fotógrafos com seus smartphones em mão, e marcou posição entre os presentes.

 

Chega quer agilizar legislação referente ao voto dos emigrantes

Em declarações durante a Festa, André Ventura disse que Portugal precisa “muito, muito, muito” que os emigrantes regressem ao país e apelou ao Governo que crie incentivos a esse regresso. “Vamos, como prometemos, ter em setembro ou outubro uma proposta de lei no Parlamento para que finalmente possamos ter uma legislação ágil, eficaz e rápida para que os emigrantes possam votar e não voltemos a ter os problemas que tivemos nas eleições deste ano”, referiu.

Para o líder do Chega, é necessário pegar no assunto da votação da emigração “já no início da legislatura”.

“Em setembro, devemos sentar todos e chegar a um consenso possível para reformular as leis em matéria de votação e participação da nossa Comunidade emigrante”, defendeu.

Por outro lado, considerou fundamental chamar de volta a Portugal a Comunidade emigrante, apelando a medidas do Governo nesse sentido, seja em termos fiscais seja dando-lhe a possibilidade de trazerem “livremente” para o país o dinheiro que ganharam no estrangeiro.

André Ventura considerou que o Governo tem “tratado mal” a Comunidade emigrante, sublinhando ser “simbólico” que Augusto Santos Silva, atual Presidente da Assembleia da República, tenha sido o cabeça-de-lista do PS pelo círculo Fora da Europa, nas últimas legislativas. “É simbólico que um dos representantes do PS pelo círculo da emigração tenha sido Augusto Santos Silva. A emigração está a ser maltratada e agora a Assembleia da República também está a ser maltratada por Augusto Santos Silva”, rematou.

 

José Rego, com Lusa

 

Donativos LusoJornal
X