António de Carvalho representou a Casa do FC Porto de Paris na gala Dragões de Ouro

Desporto

 

A Casa do FC Porto de Paris esteve representada, esta segunda-feira, dia 20 de dezembro, na gala Dragões de Ouro. António de Carvalho assistiu, no Dragão Arena, no Porto – após duas edições condicionadas pela pandemia de Covid-19 – à entrega dos 17 prémios, nomeadamente aos internacionais portugueses Diogo Costa e Otávio, como atleta e futebolista do ano do Campeão nacional FC Porto, respetivamente, e ao Treinador Sérgio Conceição.

Os Dragões de Ouro foram lançados em janeiro de 1986, já sob a presidência de Jorge Nuno Pinto da Costa.

Sérgio Conceição, de 48 anos, sucedeu ao espanhol Moncho López, antigo treinador do basquetebol ‘azul e branco’, para arrebatar o seu quarto Dragão de Ouro, um dos quais como jogador (1998) e três enquanto técnico (2018, 2020 e 2022), e igualar o recorde de estatuetas da ex-atleta campeã olímpica Fernanda Ribeiro (1986, 1987, 1995 e 1996).

Num ano em que igualou José Maria Pedroto como treinador mais laureado do FC Porto, com oito títulos, Sérgio Conceição dirigiu as conquistas do 30º Campeonato, com um recorde de 91 pontos, da 18ª Taça de Portugal e da 23ª Supertaça Cândido de Oliveira.

Jorge Nuno Pinto da Costa manifestou que a categoria de Treinador do Ano “não podia ser” atribuída a outra pessoa, no habitual discurso de conclusão dos Dragões de Ouro.

A 35.ª edição do evento galardoou ainda o guarda-redes Diogo Costa e o médio Otávio, ambos utilizados pela Seleção lusa no Mundial2022, que sucederam ao ciclista Amaro Antunes e ao jogador Sérgio Oliveira como Atleta e Futebolista do ano, respetivamente.

No palco do Dragão Arena apareceram igualmente o avançado Gonçalo Borges, de 21 anos, como Atleta Revelação, e o guarda-redes Gonçalo Ribeiro, de 16 anos, elevado a Atleta Jovem, com Fernando Gomes, administrador da SAD, a ser o dirigente premiado.

Essa categoria diretiva tinha sido conquistada em 2021 pelo homónimo ‘bibota’, melhor marcador da história do clube e vencedor de duas Botas de Ouro (1982/83 e 1984/85), que faleceu em 26 de novembro, aos 66 anos, e foi recordado postumamente na gala.

Nas restantes modalidades, o hoquista Gonçalo Alves notabilizou-se como Atleta de Alta Competição, na sequência de uma campanha marcada pelas conquistas do campeonato, no qual foi ‘artilheiro’ máximo, da Taça de Portugal e de um inédita Taça Intercontinental.

Já o espanhol Daniel Sánchez, campeão da Europa de bilhar às três tabelas, foi laureado com a estatueta masculina de Atleta Amador, galardão partilhado no setor feminino pela olímpica Angélica André, terceira nos 10 km de águas abertas dos Europeus de natação.

Pinto da Costa, que vai completar 85 anos em 28 de dezembro, distinguiu cada premiado no seu discurso, além de proclamar uma versão adaptada de um poema de Fernando Pessoa e cantar parte do hino do clube, eternizado pela falecida Maria Amélia Canossa.

 

Lista de vencedores dos Dragões de Ouro de 2022

Recordação do Ano: Maria Amélia Canossa

Quadro do Ano: Basílio Moreira

Atleta Amador do Ano: Daniel Sánchez

Atleta Amadora do Ano: Angélica André

Casa do Ano: Albergaria-a-Velha

Projeto do Ano: FC Porto Fan Token

Parceiro do Ano: New Balance

Atleta Jovem do Ano: Gonçalo Ribeiro

Atleta Revelação do Ano: Gonçalo Borges

Futebolista do Ano: Otávio

Atleta de Alta Competição do Ano: Gonçalo Alves

Atleta do Ano: Diogo Costa

Carreira: Leandro Massada

Dirigente do Ano: Fernando Gomes

Sócio do Ano: Fernando Póvoas

Treinador do Ano: Sérgio Conceição

Honra: D. Américo Aguiar

 

Donativos LusoJornal