As 5 personalidades do universo franco-português que, segundo o LusoJornal, marcaram o ano 2022

Comunidade

 

Durante esta semana, a redação do LusoJornal divulgou as 5 personalidades do universo “franco-portuguesas” que marcaram o ano 2022. A Deputada Nathalie de Oliveira (Personalidade política do ano), a árbitra de futebol Stéphanie Frappart (Desportista do ano), a Diretora Geral Adjunta da L’Oréal Inês Caldeira (Personalidade empresarial do ano), o Diretor do Festival d’Avignon Tiago Rodrigues, Personalidade cultural do ano e o cofundador do Comité Aristides de Sousa Mendes, Manuel Dias, Dirigente associativo do ano, foram as 5 personalidades do ano e o LusoJornal explicou porquê.

 

A lusodescendente Nathalie de Oliveira foi escolhida pela redação do LusoJornal como «Personalidade política do ano» 2022.

Nascida em França de pais emigrantes, a escolha foi influenciada pela sua eleição para a Assembleia da República portuguesa, depois de ter sido várias vezes candidata às eleições legislativas francesas e de ter sido eleita, durante um mandato, Maire-Adjointe de Metz, cidade onde reside.

A eleição de Nathalie de Oliveira reveste-se pois de um significado particular por ter sido a primeira lusodescendente nascida em França a ser eleita para o Parlamento português.

A eleição teve a particularidade de ter sido repetida e do Partido Socialista ter conseguido eleger os dois Deputados pelo círculo eleitoral da Europa, não deixando nenhum Deputado para os outros partidos. Nathalie de Oliveira queria encabeçar a lista, mas o Partido preferiu recandidatar Paulo Pisco, deixando a Nathalie de Oliveira a segunda posição.

Nathalie de Oliveira é pois considerada pela redação do LusoJornal como um exemplo de militância e de persistência, mas é também a ilustração de uma dupla pertença cultural e de uma dupla militância política, nos dois países.

Antes de ser eleita para a Assembleia da República, Nathalie de Oliveira era colaboradora do LusoJornal, jornal que apoia há muitos anos.

Este foi também o ano em que foram eleitos para a Assembleia Nacional francesa os lusodescendentes Christine Pires Beaune (agora também Presidente do Grupo de Amizade França-Portugal), Ludovic Mendes, Dominique da Silva e Emmanuel Fernandes.

Politicamente, este foi um ano intenso para o LusoJornal com eleições Presidenciais em França e Legislativas nos dois países.

 

A lusodescendente Stéphanie Frappart, filha de mãe portuguesa, foi escolhida pela redação do LusoJornal como «Desportista do ano» 2022.

Com origens em Barcelos, Stéphanie Frappart acaba de ser eleita, pelo quarto ano consecutivo, a Melhor mulher árbitra do Mundo, e a escolha do LusoJornal baseia-se no facto de ter sido a primeira mulher a apitar um jogo, enquanto árbitra principal, na fase final do Campeonato do Mundo de Futebol, que acaba de ter lugar no Qatar.

Stéphanie Frappart começou a jogar futebol em Cergy Pontoise, mas desde muito cedo enveredou por uma carreira de árbitra. Este ano de 2022 correu-lhe bem porque, para além de ter apitado um jogo no Qatar, também juntou ao seu palmarés a final da Taça de França e um jogo da Liga dos Campeões.

A redação do LusoJornal destaca ainda três outros “Desportistas do ano”: A equipa de Futsal do Sporting Club de Paris, que voltou a ganhar o Campeonato francês de D1 e continua a ser a equipa com maior palmarés no Futsal francês; o lusodescendente Victor Martins, por ter sido Campeão de Fórmula 3 e a ciclista Bárbara Fonseca por ter corrido (e chegou ao fim!) na primeira edição do Tour de France Feminino 2022.

 

A portuguesa Inês Caldeira foi escolhida pela redação do LusoJornal como «Personalidade empresarial do ano» no ano em que foi nomeada Diretora Geral Adjunta da L’Oréal Paris.

Inês Caldeira já foi CEO da L’Oréal em Portugal e vai agora ocupar-se do crescimento da marca na Ásia, nomeadamente na China e países emergentes, mas também da área digital e ecommerce.

A redação do LusoJornal destaca ainda três outros empresários: Carlos Tavares, PDG de Stellantis pelo lucro recorde de 13.354 milhões de euros em 2021, quase 2,8 vezes superior ao que os dois grupos que compõem este gigante automóvel – PSA e Fiat-Chrysler – conseguiram separadamente em 2020; Franck Araújo, Diretor Geral do Accélérateur M, em Marseille, uma incubadora de start-up’s de inovação e Nuno Monteiro, instalado em Toulouse, por ter sido o primeiro Notário a fazer uma transação imobiliária em criptomoedas.

 

O português Tiago Rodrigues foi escolhido pela redação do LusoJornal como «Personalidade cultural do ano», no ano em que assumiu as funções de Diretor do Festival de teatro de Avignon, o mais reputado festival de teatro do mundo.

Em 1946, o Festival d’Avignon começou por ser uma mostra de artes plásticas organizada por René Char, Christian Zervos e Yvonne Zervos, à qual se juntou Jean Vilar, ator e encenador, com três peças de teatro.

Dramaturgo, encenador e ator, Tiago Rodrigues vem agora juntar-se a estas figuras.

Com uma carreira de mais de duas décadas, Tiago Rodrigues tem sido presença regular em palcos internacionais, tendo sempre por base Portugal, seja através da companhia que criou, Mundo Perfeito, ou do compromisso assumido com o Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, que dirigiu desde 2014. Ao longo de cerca de uma década, criou mais de 30 peças, apresentadas em cerca de 15 países da Europa, América do Sul, Médio Oriente e Ásia.

A primeira presença de Tiago Rodrigues no Festival d’Avignon aconteceu em 2015, onde apresentou a peça “António e Cleópatra”, tendo voltado nos anos seguintes com diferentes trabalhos.

Na corrida à liderança deste festival estava ainda outro português, José Manuel Gonçalves, Diretor do CentQuatre, um dos templos de teatro e arte contemporânea, em Paris.

A redação do LusoJornal destaca ainda quatro outros agentes culturais: a realizadora lusodescendente Christèle Alves Meira, porque voltou a ser programa em Cannes e esteve quase a levar o seu filme “Alma Viva” aos Óscares; o lusodescendente Tiago Martins pelo livro que acaba de editar “L’histoire du Portugal das mon assiette”; o cantor Sou, pelo seu novo álbum com canções em mirandêz, e Fábio Lopez, pelo trabalho que tem vindo a desenvolver à frente da Companhia de dança Illicite Bayonne.

 

Manuel Dias foi considerado pela redação do LusoJornal, o “Dirigente associativo do ano” 2022, pelo desempenho que tem feito no Coletivo francês de homenagem a Aristides de Sousa Mendes.

Há alguns anos que Manuel Dias já não é o Presidente do Comité Sousa Mendes, em Bordeaux – atualmente presidido por Isabel Barradas – mas a sua intervenção tem sido fundamental nas três áreas de atividade da associação: a homenagem a Aristides de Sousa Mendes, a participação dos Portugueses na I Guerra mundial e a presença portuguesa na Resistência francesa durante a II Guerra mundial.

Este ano em que Aristides de Sousa Mendes teve honras no Panteão Nacional, chocou à redação do LusoJornal saber que Manuel Dias – que tanto se bateu para divulgar os factos do antigo Cônsul português em Bordeaux – não tivesse sido convidado e assistiu às cerimónias pela televisão (como aliás também aconteceu com a filha mais nova de Aristides de Sousa Mendes, filha da segunda mulher, francesa, do diplomata, que mora em Pau, e também não foi convidada).

Pela persistência com que Manuel Dias se tem dedicado à causa de Aristides de Sousa Mendes, sem baixar os braços, mesmo quando em Portugal ninguém se digna convidá-lo para a cerimónia do Panteão, e sobretudo pela qualidade da sua intervenção, a redação do LusoJornal considera que é de toda a justiça considerar que Manuel Dias é o Dirigente Associativo do Ano 2022.

 

O LusoJornal não entregou qualquer prémio e esta escolha apenas representa o reconhecimento da redação do jornal para aqueles que, por feitos excecionais, marcaram efetivamente o ano 2022 que agora acaba.

 

Donativos LusoJornal