Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Um grupo de «cidadãos portugueses e lusodescendentes» estão a fazer assinar um «Abaixo assinado» para levarem ao conhecimento das autoridades de tutela do Consulado Honorário de Portugal na cidade de Nice, «a preocupante situação do funcionamento deste posto consular».

«A instalação de um posto consular na região de Nice foi recebida com agrado pelos numerosos cidadãos habitando nessa região que, até aí, tinham de fazer 400 km e perder um dia de trabalho na ida ao Consulado Geral na cidade de Marseille» diz o «Abaixo assinado» que o LusoJornal leu. «Acontece porém, que o funcionamente desse posto não responde ao que se devia esperar de um serviço publico a um ponto tal que os compratriotas, por vezes, continuam a ir a Marseille».

Segundo os organizadores do «Abaixo assinado», «o atendimento público por marcação telefónica é quase impossível pois ninguém atende as chamadas; a informação por internet é insuficiente e, por vezes, orienta erradamente; o acolhimento, apesar dos esforços e competência da funcionária em serviço nesse posto, nem sempre pode responder às preocupações dos utentes ou são difíceis de obter, e funciona num clima de tensão suscetível de conflitos graves e dá uma péssima imagem da nossa Comunidade em Nice».

Os assinantes «exigem» então das autoridades de tutela «que seja nomeado pelo menos mais um funcionário no Consulado honorário de Portugal em Nice, única e simples medida capaz de responder à preocupante situação vivida pelos utentes».

 

Secretário de Estado vai estudar

«Este é o sinal de uma cidadania ativa, responsável e preocupada com a Comunidade e é bom saber que durante muito tempo não houve uma resposta consular em Nice, foi já este Governo que criou um Consulado honorário em Nice, dependendo naturalmente do Consulado de carreira de Marseille» explica ao LusoJornal o Secretário de Estado das Comunidades portuguesas, José Luís Carneiro. «O senhor Cônsul Honorário já nos tinha transmitido esta necessidade de se pôr mais um funcionário porque o movimento tem sido efetivamente superior às melhores espetativas e portanto vejo essa petição como uma oportunidade de podermos efetivamente, no quadro das contratações do próximo ano, avaliar com os serviços, no quadro das prioridades definidas, se é possível corresponder a essa espetativa».

 

Cônsul Honorário está ao corrente da Petição

O Cônsul Honorário Joaquim Pires confirmou ao LusoJornal que «Ouvi falar disto há 8 dias» e acrescenta que efetivamente o Cônsul Geral de Portugal em Marseille está ao corrente do problema.

«O nosso Consulado está a funcionar muito bem. Para ir ao Consulado de Portugal em Marseille, as pessoas tinham de fazer 250 km para cada lado, e às vezes não podiam ser atendidos porque havia muitos utentes. Mas o Consulado funciona tão bem que é um aperto» afirma João Pires. «Temos uma funcionária. Ela tem de fechar o Consulado à segunda-feira para se ocupar do tratamento dos documentos, mas a Comunidade quer mais, quer que se contrate uma segunda empregada».

Interrogado pelo LusoJornal, Joaquim Pires diz que «é uma coisa fabulosa que temos lá, temos poderes alargados, fazemos todos os documentos, desde o passaporte ao Cartão do Cidadão. Só os casamentos e os divórcios é que não podemos fazer».

O Cônsul Honorário diz que em Nice fazem-se cerca de 600 atos consulados por dia.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 10 Votos
5.7
X