Associação Dimitri Francisco distribui presentes de Natal a crianças hospitalizadas em Pombal e Paris

Associações

 

A Associação Dimitri Francisco, criada na região de Paris mas com sede em Pombal, volta a distribuir presentes no dia de Natal, às crianças de três hospitais do centro do país.

No dia 25 de Natal, um grupo de voluntários irá aos serviços de Pediatria dos hospitais de Santo André, em Leiria, Distrital da Figueira da Foz e Pediátrico de Coimbra. “Ainda estamos em conversações com o novo hospital pediátrico de São João, no Porto”, disse à Lusa o Presidente da associação, Gilberto Francisco.

A associação desafiou as crianças a escreverem uma carta ao Pai Natal e a colocarem-na numa caixa de correio fictícia. Os pedidos “vão ser atendidos dentro do possível”, referiu a mesma fonte.

Segundo Gilberto Francisco, a associação investiu cerca de cinco mil euros em presentes, valor que é suportado pelos elementos da associação, assim como por vários mecenas que apoiam a causa.

“No dia 25 de dezembro vários grupos de voluntários vão aos internamentos e urgência dos hospitais, com o pai Natal, duendes e trenó para distribuir os presentes. Queremos que haja a magia do Natal entre as crianças que estão doentes”, explicou Gilberto Francisco.

O presidente da associação, emigrante em França, na Seine et Marne, vai também distribuir presentes em sete hospitais e oito orfanatos de Paris e região parisiense. “O objetivo é fazer as crianças e os pais sorrirem”, assumiu.

A Associação Dimitri Francisco é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos, com sede em Pombal, e tem por missão promover e realizar ações de solidariedade, no Natal, em hospitais e instituições particulares e cooperativas de solidariedade social.

Esta associação ampara crianças com necessidades especiais, patrocina projetos específicos em hospitais pediátricos portugueses, como a ‘newsletter’ do Hospital Pediátrico de Coimbra, a decoração/humanização da sala de Urgências do Pediátrico de Coimbra, em parceria com o projeto Marinheiros da Esperança e a Marinha Portuguesa, distribuiu milhares de equipamentos de proteção individual por múltiplas instituições particulares de solidariedade social da região durante o pico da pandemia da Covid-19, refere uma nota de imprensa.

A associação também enviou bens de primeira necessidade para as crianças na Ucrânia, assim como participou na assistência a crianças ucranianas refugiadas da guerra, em Portugal.

Esta ação começou há cerca de 30 anos nos hospitais franceses, mas, em 2016, Gilberto Francisco foi desafiado a desenvolver o projeto na sua cidade natal, criando formalmente a Associação Dimitri Francisco, em 2019, quando distribuiu presentes em sete hospitais de norte a sul do país.

O nome da associação é uma homenagem ao filho de Gilberto Francisco, que faleceu ainda com meses de vida.

 

Donativos LusoJornal