Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Donativos LusoJornal

 

O Presidente da Câmara Municipal da Guarda apelou aos emigrantes, que este verão passam férias no concelho, que cumpram “as regras básicas” recomendadas pelas autoridades e “não facilitem”, para evitar eventuais contágios de Covid-19.

“Tem de haver um rigor imenso naquilo que são os comportamentos, as atitudes de defesa e de proteção deles próprios [dos emigrantes] e da comunidade onde se inserem, desde logo, cumprindo as regras básicas da autoridade nacional de Saúde, com o compromisso e com essa obrigação, que hoje nós todos já assumimos como natural, como uma situação que é necessária para defendermos a nossa saúde”, disse Carlos Chaves Monteiro à Lusa.

O autarca apela aos emigrantes que já se encontram no território e àqueles que em breve virão visitar os seus familiares, para que cumpram as recomendações em vigor.

O município da Guarda irá sensibilizá-los “a comprometerem-se com esse código de conduta, com essa forma de estar, que é higienizar, proteger com luvas e máscaras, com tudo isso que já é parte” da vivência atual e apelar para que “não facilitem”.

“Porque, de facto, não podemos ainda colocar o grito de vitória, porque o vírus é mais resistente, menos vulnerável, mais multiadaptável do que aquilo que nós imaginávamos. E, portanto, temos de dar tempo à Ciência para que ela nos possa defender de forma mais cabal e total e, para isso, precisamos, até lá, do contributo de todos”, declarou.

Carlos Chaves Monteiro reconhece que a presença de emigrantes no território, tradicionalmente com maior expressão no mês de agosto, ajudará a contribuir para a dinamização da economia local. “Os emigrantes continuam a ser uma parte imprescindível da economia, nesta época, principalmente dos territórios de fronteira. Dinamizam muito a economia das nossas freguesias rurais e também urbanas, mas a saúde é um bem que prevalece”, disse.

Na sua opinião, “quanto melhor tratarmos a saúde, também melhor trataremos a economia”.

“É nesta perspetiva dupla que nós devemos olhar para esta realidade e não ver uma sem a outra. Seremos mais prósperos se também formos mais responsáveis no cumprimento das normas de saúde”, rematou o Presidente da Câmara Municipal da Guarda.

 

Comunidade
X