Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O antigo futebolista Carlos Secretário vai permanecer no comando técnico dos franceses do Créteil/Lusitanos, depois de uma época que “estava a correr bem” e terminou precocemente devido à pandemia de Covid-19.

A formação lusitana da região de Paris seguia no nono lugar do National 1, terceiro escalão do futebol francês, após 25 jornadas, quando foi suspenso e depois dado por concluído, tal como todas as competições desportivas em França.

“É óbvio que a Covid-19 foi um choque para todos nós. Todos vivemos do futebol, a maioria dos jogadores são profissionais. Alguns jogadores e pessoal da equipa técnica que estamos longe da família não sabíamos o que se ia passar e foi difícil para nós”, afirmou o antigo lateral direito de FC Porto e do Real Madrid, em entrevista à Lusa.

O antigo internacional português, de 50 anos, chegou em 2015 ao futebol francês, para treinar o Lusitanos Saint Maur, tendo, depois de uma passagem pelo Cesarense, assumido o comando do Créteil/Lusitanos, em 2018, conseguindo a subida de divisão na primeira época. “Corresponde ao terceiro escalão em Portugal, embora em qualidade seja muito superior. A estrutura do Nacional 1 é nacional, com muitas viagens e, na minha opinião, corresponde à II Liga portuguesa. É um Campeonato semiprofissional”, explicou o Treinador.

A equipa detida pelo empresário português Armando Lopes passou algumas dificuldades no início da época, mas, antes da paragem forçada, estava “numa fase muito boa”.

“Era quase impossível chegar aos lugares de subida, mas, se tivéssemos a mesma linha do que tínhamos feito nos outros jogos, podíamos passar para uma posição bem melhor do que aquela que estávamos”, avaliou.

A declaração de pandemia ditou o nono lugar para o Créteil/Lusitanos e o confinamento geral. “Tomei as minhas precauções em França, fiz quarentena e, só depois, tomei a decisão de ir para perto da família. Se já é difícil estar longe da família quando estamos a trabalhar e está a decorrer o Campeonato, havendo isto era mesmo muito complicado. Tomei a decisão de vir para aqui [Portugal] e fiz nova quarentena”, explicou.

Os Campeonatos de França, Países Baixos, Bélgica e Escócia foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso gradual à competição, como Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, depois de a Liga alemã ter sido retomada no sábado.

Com esta interrupção, o futebol só deverá regressar em França durante o mês de setembro. “Cada Campeonato e cada país tem as suas características. Em Portugal, as coisas não foram tão graves como em França. E há várias situações que podem levar a que os Campeonatos recomecem. Em Portugal foi mais a vertente económica que obrigou os clubes a retomarem, noutros países, tiveram mais em conta a saúde da população”, considerou o treinador.

O Créteil/Lusitanos está atualmente em desemprego parcial, sendo 84% dos salários assegurados pelo Estado.

Apesar de assumir o acordo para permanecer no clube, Secretário não quis alongar-se em planos para a próxima época, admitindo a necessidade de ser feita “uma preparação de esforço mais prolongada para evitar lesões”.

Secretário notabilizou-se no lado esquerdo da defesa do FC Porto, conquistando seis Campeonatos nacionais, cinco Taças de Portugal, quatro Supertaças Cândido Oliveira e uma Liga Europa, tendo alinhado em 1996/97 no Real Madrid, ao serviço do qual se sagrou Campeão de Espanha.

Vestiu a camisola da equipa das ‘quinas’ em 35 ocasiões, incluindo nas fases finais dos Euro1996 e Euro2000, tendo marcado um golo.

 

Desporto
X