Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Cátedra Mário Soares foi criada ontem na Universidade de Rennes 2

Ensino

 

Foi assinado ontem, dia 14 de dezembro, em Rennes, um Protocolo entre o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. e a Universidade de Rennes 2, que cria a Cátedra Mário Soares, a sexagésima do Camões, I.P.

O Protocolo foi assinado pelo Presidente do Camões, I.P., João Ribeiro de Almeida e pela Presidente da Universidade de Rennes 2, Christine Rivalan Guégo. A cerimónia foi marcada por mensagens vídeo enviadas pelo Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e por Isabel Soares, filha de Mário Soares. Interveio também Edmond Hervé, antigo Maire de Rennes, Senador e Ministro, que conheceu Mário Soares em 1972, e com ele colaborou no âmbito da Comissão Arco Atlântico.

O objetivo do Protocolo é o de estabelecer as condições para alargar a oferta dos estudos relativos à língua portuguesa e culturas de expressão portuguesa mediante a criação da Cátedra Mário Soares junto da Universidade de Rennes 2, desenvolvendo junto da cidade e da região que a acolhe um conjunto de iniciativas de caráter científico e cultural nos domínios da História e da Cultura, da Língua e das Literaturas de língua portuguesa, de acordo com as seguintes linhas de investigação: História e Cultura – Século XX e transição democrática em Portugal no pós 25 de abril de 1974; Língua – Perspetiva diacrónica nas suas variações e variedades no espaço lusófono; Literaturas de língua portuguesa (períodos colonial e pós-colonial): literatura e outras expressões artísticas.

Rennes inaugurou o ensino do português em 1921. Até então, só existia em Paris um Instituto de Português. A criação do português em Rennes deve-se à ação conjunta do então do Reitor da Academia Gérard Varet e do Diretor Decano da Faculdade de Letras Henri-Georges Dottin.

Em 1971, comemoraram-se os 50 anos do Ensino do Português na Bretagne, tendo lugar um colóquio interdisciplinar sobre as relações entre a Bretanha, Portugal e Brasil e uma parte artística com a presença de Luís Cília e José Mário Branco. O cinquentenário contou com presenças ilustres como a de Maria de Lourdes Belchior Pontes, Presidente do Instituto de Alta Cultura, o Professor Vitorino Nemésio e o Professor Martins de Carvalho. Desde então a Secção de português consolida a sua autonomia e a biblioteca portuguesa integra a biblioteca de línguas românicas. Nesta altura, entre 1971-1973, Mário Soares era professor associado na Universidade de Rennes e um terceiro leitorado viria a ser estabelecido, sendo custeado inteiramente pela Universidade de Rennes, a partir de novembro de 1974.

Em 1977 a Université de Haute Bretagne Rennes 2 (Reitor Michel Denis) atribui a Mário Soares as insígnias de Doutor Honoris Causa em cerimónia que contou com a presença do então Primeiro Ministro. Mário Soares voltará a Rennes em 1991 aquando dos 70 anos do ensino do Português em Rennes (Mário Soares era então Presidente da República Portuguesa). Em 2004, participa também num colóquio sobre os quarenta anos da Revolução do 25 de abril.

Foi constituído entretanto um acervo de documentação sobre a África lusófona «Bernardino Chiche» – uma das mais ricas coleções em França – que foi integrado na Biblioteca central de Rennes2.

No que concerne as atividades promotoras da investigação em Estudos Portugueses, refira-se o Colóquio internacional de literaturas africanas de expressão portuguesa em 1984 (Les littératures Africaines de langue Portugaise a la recherche de l’identité individuelle et nationale) com a colaboração da Fundação Calouste Gulbenkian e o Centro Cultural de Paris. Ainda a referir, em outubro de 2012, um colóquio internacional em homenagem ao centenário de nascimento de Jorge Amado, organizado em Rennes 2.

Atualmente, o Departamento de Português ministra um curso de Licenciatura em português bem como um diploma de Mestrado e Doutoramento (integrado no Master Amériques e ETILA).

Os estudantes de Rennes2 têm ainda a possibilidade de se inscreverem nas opções de língua «initiation» e «continuation» onde se encontra «em concorrência» e integra um leque formativo com mais 17 outras línguas. A língua portuguesa é ainda parte integrante do currículo do mestrado de LEA (Línguas Estrangeiras Aplicadas – Inglês/Português ou Inglês/Espanhol).

A Cátedra Mário Soares, agora criada na Universidade de Rennes 2, é a sexagésima do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. e a sétima a ser concretizada no ano de 2021, depois das cátedras – Lídia Jorge (Suíça e EUA); Três Marias (EUA), Paul Teyssier (França); Marquês de Pombal (Brasil); Estudos Língua e cultura Portuguesa (EUA).

O Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., promove externamente a língua e cultura portuguesas apoiando a atividade de investigação e ensino de cátedras de português junto de instituições estrangeiras de ensino superior.

Estas cátedras em universidades estrangeiras asseguram a investigação e o ensino em múltiplas áreas disciplinares e multidisciplinares, nomeadamente as de Linguística, Literatura e outras Artes, História e Estudos Pós-coloniais. O principal objetivo destas cátedras é revelarem o estatuto do português enquanto Língua de Ciência.

 

Donativos LusoJornal

 

X