Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O trabalho do cineasta português radicado em França José Vieira vai estar em destaque no Vista Curta de Viseu, que junta o cinema independente associado à região de Viseu e a produção de âmbito nacional que interpela a interioridade.

Segundo o Cine Clube de Viseu, para o período entre 29 de outubro e 02 de novembro, está preparado “um panorama à volta do cineasta português José Vieira, que estará presente”, sendo exibidos quatro filmes e realizado um colóquio com vários convidados.

Os filmes a exibir são “A Fotografia Rasgada” (2002), “O Pão que o Diabo Amassou” (2012), “Souvenirs d’un Futur Radieux” (2014) e “A Ilha dos Ausentes” (2016).

“A história da emigração clandestina portuguesa para França, nos anos 60/70, os ‘bidonvilles’ em França, o interior de Portugal de onde quase todos partiram (e também os que ficam), são os assuntos de eleição do cinema de José Vieira”, refere o Cine Clube de Viseu.

José Vieira “aprendeu a filmar no terreno e entrou no mundo do documentário como uma forma de militância, transportando realidades sociopolíticas para o seu cinema”, recorda o Cine Clube, considerando que a sua filmografia é “singular mas ainda insuficientemente conhecida em Portugal”.

Nascido em Oliveira de Frades, José Vieira veio para França em 1965, com sete anos de idade. Vinte anos depois, “impulsionado pelas transformações políticas em Portugal e pela pertença a movimentos de solidariedade com os imigrantes, realiza cerca de 30 documentários para a France 2, France 3, Cinquième e Arte, traçando o retrato da imigração em França com base na sua experiência pessoal e nas histórias individuais que foi conhecendo”, acrescenta.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
4.5
X