Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O cinema português marcou presença em várias secções competitivas do Festival Primeiros Planos de Angers, em França, contando ainda com a realizadora lusodescendente Cristèle Alves Meira, no júri de curtas-metragens, e o programador Miguel Dias, no da secção Diagonais.

A 32ª edição do festival dedicado às primeiras obras teve lugar na semana passada, tendo os filmes “Ave Rara”, de Vasco Saltão, e “Poder Fantasma”, de Afonso Mota, na competição de curtas-metragens, enquanto “L’Île aux Oiseaux”, da dupla luso-suíça Maya Kosa e Sérgio da Costa, concorreu na secção Diagonais.

Também em competição, mas na de cinema feito em contexto estudantil, apresentou-se “Em Caso de Fogo”, de Tomás Paula Marques, já premiado em San Sebastián e no Curtas de Vila do Conde, que também distinguiu “Ave Rara”.

Fora de competição, num programa intitulado “Next Shots”, que englobou filmes realizados por cineastas que antes estiveram no festival, estiveram “Invisível Herói”, de Cristèle Alves Meira, e “Sol Negro”, de Maureen Fazendeiro.

O festival abriu com “La Fille au Bracelet”, de Stéphane Demoustier, e teve a sua cerimónia de encerramento, no dia 25 de janeiro, com “Wasp Network”, de Olivier Assayas. Os filmes portugueses não receberam qualquer prémio.

 

Cultura
X