Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Donativos LusoJornal

 

O Comité Aristides de Sousa Mendes de Bordeaux vai organizar um ciclo de conferências sobre “Os Estrangeiros na Resistência – O caso dos Portugueses” proferidas por Cristina Clímaco, Marie-Christine Volovitch-Tavares, Victor Pereira e com a contribuição de Laurent Douzou da Universidade Lumière Lyon-II, IEP Lyon.

A primeira conferência vai ter lugar em Angoulême na sexta-feira desta semana, dia 8 de outubro, pelas 14h00, seguindo-se Bordeaux (dia 9 de novembro), Poitiers (dia 2 de dezembro), Limoges (dia 9 de dezembro), Bayonne (dia 20 de janeiro de 2022), Hendaye (dia 11 de fevereiro), Pau (dia 11 de março) e Oloron-Sainte-Marie (dia 18 de março de 2022).

Logo no início da II Guerra mundial, em 1940, milhares de Franceses opuseram-se à ocupação da Alemanha Nazi e ao Regime de Vichy. Mobilizados nos movimentos de resistência na Espanha, na Polónia, em Portugal, na Itália,… milhares de estrangeiros integraram a Resistência ao lado dos Franceses. “Trouxeram à Resistência uma grande experiência na luta contra o fascismo na Itália (1923), em Portugal (1927), na Espanha (1930)… E sobretudo experiência adquirida nos combates durante a Guerra de Espanha, em 1936-1939, ao serviço da República” explica Manuel Dias, Vice Presidente do Comité Sousa Mendes.

O Comité lembra que 2022 é o ano da Temporada cultural cruzada França-Portugal e por isso, considerou oportuno evocar “a memória destes resistentes que ficaram na sombra”.

“Em 1939-1940, no início da II Guerra mundial, viviam em França 28.000 Portugueses, a maioria dos quais trabalhadores imigrantes, mas também exilados políticos, alguns milhares de soldados do Corpo Expedicionário Português mobilizados na Flandres durante a Grande Guerra e que decidiram ficar em França em 1918 e 1919” afirma Manuel Dias. “Também temos de acrescentar a estes, os 2.400 a 2.600 combatentes e trabalhadores portugueses, exilados em França no seguimento da ‘retirada’ de Espanha, nos finais de 1938, início de 1939”. Muitos destes passaram pelos “campos de internamento” no sul de França.

“A todos estes combatentes que ficaram na sombra, devemos respeito e reconhecimento pelo serviço prestado à Liberdade” conclui Manuel Dias.

Cristina Clímaco é professora na Universidade de Paris 8 Vincennes-Saint-Denis, Maria-Christine Volovitch-Tavares é Vice-Presidente do CERMI (Centre d’études et de recherches sur les migrations ibériques), Victor Pereira é professor na Universidade de Pau et des Pays de l’Adour.

 

Ciclo de conferências:

 

Dia 8 de outubro de 2021, sexta-feira, 14h00

Espace Franquin, 1 bd Berthelot, Angoulême

 

Dia 9 de novembro de 2021, terça-feira, 14h00

Archives 33, 74 crs B.- Stuttenberg, Bordeaux

 

Dia 2 de dezembro de 2021, quinta-feira, 14h00

Espace P.-M.-France, place de la Cathédrale, Poitiers

 

Dia 9 de dezembro de 2021, quinta-feira, 17h

Fac. de Droit, a400B, 5 rue F.-Éboué, Limoges

 

Dia 20 de janeiro de 2022, quinta-feira, Bayonne

 

Dia 11 de fevereiro de 2022, sexta-feira, Hendaye

 

Dia 11 de março de 2022, sexta-feira, Pau

 

Dia 18 de março de 2022, sexta-feira, Oloron-Sainte-Marie

 

Comunidade
X