Companhia francesa de novo circo em digressão pelo Algarve

Cultura

 

A companhia francesa de novo circo Akoreacro está, desde sábado, em Santiago do Cacém (Setúbal) e, depois vai para Monchique (Faro), com um espetáculo que retrata o quotidiano de um casal através de “acrobacias estonteantes”.

Intitulado “Dans ton Coeur” e apresentado numa tenda com 560 lugares, o espetáculo passa pelas duas localidades no âmbito das iniciativas “Lavrar o Mira e a Lagoa” e “Lavrar o Mar”, promovidas pela cooperativa Lavrar o Mar, com sede em Aljezur (Faro).

“A Akoreacro é uma das grandes companhias francesas de novo circo e este é um espetáculo que já leva dois anos de ‘tournée’ pela Europa, estando bastante rodado”, explicou à Lusa Giacomo Scalisi, Diretor artístico da cooperativa.

Segundo este responsável, em “Dans ton Coeur”, que tem encenação de Pierre Guillois, é contada “uma história muito acrobática de um casal e das vicissitudes que este pode viver na sua vida quotidiana, com separações, reencontros e a rotina de casa”.

“É uma situação que todos vivemos e que vamos viver de forma mais acrobática, com música, ritmo e energia”, através de “um espetáculo maravilhoso”, acrescentou.

Em comunicado enviado à Lusa, a cooperativa revelou que, neste espetáculo, “as máquinas de lavar roupa e micro-ondas, entre outros objetos lá de casa, transformam-se em protagonistas de acrobacias milimetricamente ensaiadas”.

Em Santiago do Cacém, no distrito de Setúbal, o espetáculo é apresentado até hoje, terça-feira, no Parque de Feiras e Exposições da cidade.

Depois, a companhia Akoreacro vai estar em Monchique, no distrito de Faro, atuando no heliporto da localidade, entre os dias 26 e 31 deste mês, à noite. O espetáculo será igualmente apresentado a 01 de janeiro, à tarde, nesta mesma sede de concelho algarvia.

“Em Monchique, há a particularidade de celebrarmos a noite de passagem de ano, que já tem vindo a ser tradição desde 2016”, e, ao espetáculo, “juntam-se comidas e bebidas, champanhe, fogueiras e um concerto com os músicos da companhia”, revelou Giacomo Scalisi.

 

Donativos LusoJornal