Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Cristina Coelho é a nova Adjunta da Secretária de Estado das Comunidades Portuguesas e a nova Coordenadora do Programa Nacional de Apoio ao Investimento da Diáspora (PNAID), em substituição de Luísa Pais Lowé. A nomeação ainda não foi publicada no Diário da República, mas Cristina Coelho já começou a trabalhar ontem no Ministério dos Negócios Estrangeiros.

“Estou muitíssimo grata à Senhora Secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Dra. Berta Nunes, pelo convite. Espero corresponder às expetativas” escreve Cristina Coelho nas redes sociais. “Venho munida de dedicação, empenho e… Um brilhozinho nos olhos. E, como dizia uma amiga, desafio é o meu nome do meio”.

Cristina Coelho vive em Vila Real onde fundou e dirigiu até segunda-feira a SPA Consultadoria – que trabalhou na promoção do empreendedorismo em territórios de baixa densidade – e a Douro Business School, um projeto piloto, na zona de Trás- os-Montes e Alto Douro, levado a cabo pela ENB – Escola de Negócios das Beiras e a SPA Consultoria. Também foi fundadora da Associação de consultores de investimento e inovação de Portugal.

“Tenho um grande desafio pela frente: coordenar o Programa Nacional de Apoio ao Investimento da Diáspora (PNAID) que pretende promover o investimento dos nossos emigrantes em especial no Interior” escreve Cristina Coelho. “É a oportunidade de pôr em prática tudo o que fiz e pelo que lutei nestes 25 anos a empreender por Trás-os-Montes e esse Douro acima. Agora por Portugal fora e esse mundo adentro”.

Cristina Coelho fez consultoria a empresas, conceção e implementação de programas de empreendedorismo, fez assessoria a autarquias,… e era consultora especialista avaliadora externa de candidaturas ao programa europeu Horizonte 2020 (SME Instrument e Fast Track Innovation).

Cristina Coelho estudou na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra.

O Gabinete de Apoio ao Investidor da Diáspora está vocacionado “para identificar, apoiar e facilitar o micro e pequeno investimento com origem nas Comunidades Portuguesas e Lusodescendentes dirigido a Portugal, acompanhar projetos em curso ou em perspetiva e estimular e orientar as iniciativas de internacionalização de empresas de base regional, da referida dimensão”.

Para tal, opera em rede com os Gabinetes de Apoio ao Emigrante junto de um número crescente de Municípios nas vertentes do empreendedorismo e da promoção das potencialidades económicas locais e do desenvolvimento regional.

 

Empresas
X