Defesa Vincent Sasso regressa a Portugal para atuar no Boavista por duas épocas

Desporto

 

O defesa francês Vincent Sasso assinou um contrato de duas temporadas com o Boavista, anunciou ontem o clube da I Liga, oficializando o primeiro reforço para 2022/23, que está de regresso ao futebol português quatro épocas depois.

O central, de 31 anos, tinha terminado o vínculo com os suíços do Servette, nos quais contabilizou 90 jogos e dois golos, depois de passagens no Beira-Mar (2012/13), nas equipas principal e B do Sporting de Braga (2013-2016) e no Belenenses (2017-2019).

Internacional sub-21 por França, Vincent Sasso completou a formação e estreou-se nos seniores pelo Nantes e ainda representou os ingleses do Sheffield Wednesday (2015-2017), então orientados por Carlos Carvalhal, sob empréstimo do emblema bracarense.

O defesa, que conquistou a Taça da Liga em 2012/13 ao serviço do Sporting de Braga, ingressa após 79 encontros e seis golos na I Liga no Boavista, que finalizou a edição 2021/22 do Campeonato no 12º lugar, com 38 pontos, 10 face à zona de descida direta.

Vincent Sasso admitiu partilhar traços com o Boavista, no qual ingressou por duas temporadas, e Petit, treinador do clube da I Liga de futebol, que oficializou o primeiro reforço para 2022/23.

“Identifico-me com a imagem do clube e a minha filosofia vai de encontro à do Petit. Sou um jogador que dá sempre o máximo no dia-a-dia e deixa tudo em campo. Fui crescendo sempre durante a carreira e espero usar a minha experiência e qualidade para ajudar a equipa a atingir os objetivos”, partilhou o central, ao sítio oficial dos ‘axadrezados’ na Internet, horas após consumar o regresso ao futebol português ao fim de quatro épocas.

“Estou extremamente feliz por regressar a Portugal para representar um dos clubes com mais história do país. Quando se entra no Estádio do Bessa, sente-se logo a mística do clube e percebe-se, desde o primeiro momento, que estamos perante um dos grandes de Portugal”, disse o defesa central natural de Saint-Cloud, frisando “não ver a hora de começar a sentir esse grande ambiente”.

“Quando joguei no Estádio do Bessa como adversário senti sempre a verdadeira força destes adeptos incríveis. Percebi que são fiéis ao clube e isso fez com que os jogadores sejam obrigados a dar o máximo em todos os momentos. É importante ter adeptos exigentes e ambiciosos, até porque isso vai de encontro à minha forma de ser e estar. Estou muito feliz e agradecido com a oportunidade que me estão a dar”, concluiu.

Donativos LusoJornal