Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Donativos LusoJornal

O produtor Denis dos Santos, radicado na região de Paris, está a preparar uma comédia musical intitulada “Ele e Ela” que deve estar pronta no segundo semestre deste ano, e que pretende revisitar temas da música ligeira portuguesa dos anos 80 e 90, “provavelmente haverá um tema dos anos 70”, diz o produtor sem querer desvendar de que temas se trata.

Em setembro começou a ser feito um casting de cantores, mas numa entrevista-vídeo ao LusoJornal, Denis dos Santos diz que ainda lhe falta pelo menos mais uma voz masculina. Por isso, o recrutamento de cantores continua aberto.

O período de pandemia convidou o produtor – que também é músico – a mergulhar na música dos anos 80/90 e a ideia de montar um musical foi ganhando consistência. “Até porque considero que é uma das melhores alturas da música portuguesa” diz ao LusoJornal.

“Eu não sei se é mais fácil recorrer a temas existentes do que escrever temas inéditos, mas desta vez decidimos que seria assim” conta Denis dos Santos.

Denis dos Santos nasceu em França e começou a tocar acordeão com apenas 6 anos de idade. “Tive uma professora francesa e um professor português” conta. Com apenas 16 anos obteve o diploma de professor e começou a dar aulas de música. “Depois montei um estúdio em casa e comecei a trabalhar na distribuição musical, com editores em Portugal”. Casou com a cantora Sandra Helena e acompanha-a nos concertos. “A minha vida praticamente sempre foi andar no meio da música. Tive a oportunidade de ter estado com grandes artistas franceses e portugueses. Com a minha esposa, acompanhei-a a fazer espetáculos no mundo inteiro”. Não admira pois que este musical seja “um projeto muito importante para mim”.

O sonho de Denis dos Santos é ter músicos em cima do palco, mas por enquanto apenas prevê que os cantores estejam em palco com uma banda sonora. Para ter músicos em cena, Denis dos Santos necessitava de ter “palcos maiores, mais meios e neste momento temos que ter cuidado com os custos”, mas acrescenta que “as coisas podem evoluir. No fim do ano 2021 teremos de tomar essa decisão”, até porque depois é relativamente fácil acrescentar os músicos.

Magali e Bruno vão ser os dois artistas mais experientes do musical. “Já cantaram em vários grupos, não são artistas, mas são grandes cantores confirmados” garante Denis dos Santos. “Tenho de me apoiar em pessoas que tenham mais experiência e que vão dar força aos mais jovens, que certamente no início vão estar mais intimidados”.

Denis dos Santos não procura artistas confirmados, procura jovens que queiram ter uma oportunidade de participar numa comédia musical como trampolim “para ir mais longe na carreira”.

Neste mês de janeiro vão começar a trabalhar, essencialmente em estúdio, e lá para março e abril, “se a situação evoluir, esperamos já poder trabalhar em grupo”. Sem querer desvendar a “história” que vai estar por detrás desta Comédia musical, Denis dos Santos foi anunciando temas de Fernando Correia Marques, José Cid, Marco Paulo ou Carlos Paião.

Em palco, o produtor está a prever colocar um muro de ecrãs para levar o público para o contexto da história.

Denis dos Santos diz que o movimento associativo está a atravessar uma fase menos boa, com menos associações, menos meios, menos público e até menos rádios. Por isso, deitou mãos à obra e vai organizar, ele próprio, os espetáculos, porque quer que o musical circule por várias cidades de França, da Europa e até noutras partes do mundo.

Organizar este tipo de espetáculos é “fundamental” para Denis dos Santos. “Durante os últimos anos, toda a gente começou a fazer kizomba e kuduro e não saíamos daqui, esquecemos a nossa música ligeira. Eu penso que agora está novamente a mudar em Portugal e estamos já a voltar às nossas sonoridades”.

 

Cultura
X