PSG

FC Porto derrotado em casa pelo Paris Saint-Germain na “Champions” de andebol

Desporto

 

O FC Porto sofreu ontem à noite a oitava derrota na Liga dos Campeões de andebol, ao perder em casa com o Paris Saint-Germain, por 33-35, em jogo do Grupo A a contar para a nona jornada.

Os ‘dragões’ continuam assim no último posto do grupo, com um ponto, fruto do empate alcançado na ronda anterior frente ao Magdeburgo, num encontro disputado também no Dragão Arena.

O Paris Saint-Germain lidera com 16 pontos.

Os visitantes marcaram primeiro, mas António Areia empatou e nos dez minutos seguintes assistiu-se a uma exibição autoritária do FC Porto com um parcial de 5-0 que deixou a equipa portuguesa a vencer por 8-3.

Iturriza apontou três golos nesse período, o ponta-direita António Areia contribuiu com dois, Mitrevski revelou segurança na baliza e o FC Porto quase vulgarizou o todo-poderoso conjunto francês, surpreendido com a eficácia concretizadora e a intensidade imposta pelos Campeões nacionais.

O Paris Saint-Germain tardou a recompor-se, perdia por dois aos 20 minutos (11-9) e acabou por empatar (11-11) com um golo do espanhol Sole Sala após contra-ataque rápido.

Depois de uma fase inicial mortiça, a equipa francesa equilibrou o jogo e foi para o intervalo a perder por um golo (17-16) com um FC Porto que, com a sua prestação na primeira meia hora, fez crescer ‘água na boca’ aos seus adeptos para o segundo tempo.

O encontro, porém, mudou como dia para a noite, porque o Paris Saint-Germain subiu de rendimento tanto na defesa como no ataque e o FC Porto foi menos pressionante e eficaz nas suas ações depois da pausa para descanso.

O gigante polaco Spryzak (2,07 metros) empatou na conversão de um livre de sete metros (19-19) e o pequeno e irrequieto central holandês Luc Steins fez o 19-20 favorável aos franceses.

Mikkelsen empatou, Iturriza foi excluído por dois minutos, Pedro Valdés devolveu a liderança do marcador ao FC Porto (21-20) e o equilíbrio manteve-se até o veterano meia-distância Nikola Karabatic igualar (23-23).

A partir desse momento-chave, o Paris Saint-Germain conseguiu três golos consecutivos sem resposta (23-26) e o FC Porto ficou para trás.

Algumas falhas técnicas, perdas de bola e decisões erradas durante um período de próximo dos 45 minutos de jogo foram fatais para as aspirações portistas, que ambicionava conquistar o seu primeiro triunfo na Champions desta época.

O Paris Saint-Germain passou então a gerir a vantagem (24-28 aos 45 minutos) e o FC Porto foi perdendo clarividência e objetividade no seu jogo à medida que o jogo caminhou para o final.

Iturriza, com oito golos marcados, foi dos que mais tentou remar contra a maré, e António Areia e Mikkelsen também estiveram em bom plano, mas a qualidade e a experiência do adversário e o poder concretizador de Kamil Spryzak (nove golos marcados) e do letão Dainis Kristopans (seis golos) levaram a melhor.

O FC Porto deu tudo por tudo nos cinco minutos finais e podia ter feito melhor, por exemplo quando perdia por dois golos (30-32) e foi para o ataque. Só que Rui Silva perdeu a bola e Spyzak fez o 30-33.

O Paris Saint-Germain venceu o jogo por 33-35 com uma exibição quanto baste e sobretudo devido a uma segunda parte em que foi mais forte do que o FC Porto, que foi incapaz de manter o nível exibido até ao intervalo.

 

FC Porto 33-35 Paris Saint-Germain

Ao intervalo: 17-16

Jogo no Pavilhão Dragão Arena, no Porto

Assistência: 1.407 espetadores

Arbitros: Maike Merz e Tanja Kutler, da Alemanha

Marcha do marcador: 3-3 (05 min), 8-3 (10 min), 9-5 (15 min), 11-9 (20 min), 13-14 (25 min), 17-16 (Intervalo), 20-20 (35 min), 23-23 (40 min), 24-28 (45 min), 26-30 (50 min), 29-32 (55 min), 33-35 (final).

FC Porto (33): Nikola Mitrevski, António Areia (5), Jakob Mikelsen (5), Iturriza (8), Pedro Valdés (4) Nikolaj Laeso e Diogo Branquinho. Jogaram ainda: Rui Silva (3), Jack Thurin (4), Daymaro Salina (1), Pedro Cruz, André Sousa (1), Leonel Fernandes (1), Fábio Magalhães (1) e Sebastian Frandsen. Treinador: Magnus Andersson

Paris Saint-Germain (35): Andreas Palicka, Luc Steins (3), Kristopans (6), Nikola Karabatic (5), Luka Karabatic, Toft Hansen e Mathieu Grebille (4). Jogaram ainda: Sole Sala (2), Kamil Syprzak (9), David Balaguer, Elohim Parndi (6) e Jannick Green (g.r.). Treinador: Raul Gonzalez

 

Donativos LusoJornal