Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Desporto

 

 

O FC Porto entrou ontem com meia equipa ‘titular’ no banco e ‘pagou-o’ com um empate (1-1) em Lyon e a eliminação nos oitavos de final da Liga Europa em futebol, um verdadeiro ‘empecilho’ nas suas ambições nacionais.

Depois da derrota caseira por 1-0, o Treinador Sérgio Conceição, sem o castigado Otávio, prescindiu no ‘onze’ de João Mário, Uribe, Vítor Ferreira, Taremi e Evanilson, o que diminuiu claramente a capacidade e qualidade da equipa.

Pelo contrário, e repetindo a equipa inicial, o Lyon adiantou-se logo aos 13 minutos, por Moussa Dembélé, mas acabou traído pelas aparentes facilidades, em forma de golaço do FC Porto, num contra-ataque finalizado com estilo por Pepê, aos 27 minutos.

Na segunda parte, os cinco jogadores foram lançados e o FC Porto, no ‘desespero’, quase conseguiu forçar o prolongamento, aos 90+2 minutos: Fábio Vieira marcou um livre, Pepe ganhou nas alturas e Vítor Ferreira, isolado, falhou escandalosamente.

Mas, o empate não se alterou e os ‘dragões’, vencedores da prova em 2010/11, estão fora, o que Sérgio Conceição ‘agradecerá’, pois poderá concentrar todas as suas atenções no Campeonato português – e na Taça de Portugal -, o assumido grande objetivo ‘azul e branco’.

Em relação ao 0-1 do Dragão, Conceição mudou mais de metade da equipa, trocando João Mário, Uribe, Vítor Ferreira, Taremi e Evanilson, por opção, e o castigado Otávio por Bruno Costa, Stephen Eustáquio, Grujic, Galeno, Fábio Vieira e Toni Martínez, enquanto Peter Bosz manteve o ‘onze’ do Lyon.

Apesar da vantagem na eliminatória, os anfitriões assumiram o comando do encontro desde início e marcaram logo aos 13 minutos, com Dubois a isolar Dembélé, que, colocado em jogo por Zaidu, ganhou no corpo a corpo com Mbemba e bateu Diogo Costa.

Os Gauleses ficaram ainda mais por cima no encontro e Dembélé voltou a rematar com perigo, aos 22 minutos, mas, tantas as facilidades, o Lyon começou a facilitar e, aos 27 minutos, pagou com o empate uma perda de bola.

A equipa da casa quis fazer tudo ao primeiro toque e o FC Porto recuperou a bola e lançou o contra-ataque, com Galeno a colocar em Pepe, que conduziu pelo meio, solicitou Fábio Vieira e respondeu ao passe deste com um belo remate de primeira.

Depois da igualdade, o Lyon continuou mais tempo com bola, mas o jogo equilibrou, não se registando ocasiões claras para qualquer das equipas até ao intervalo.

Após o intervalo, a equipa da casa manteve-se como ‘dona’ da bola, mas o jogo começou a mudar com as entradas, nos portistas, de João Mário e Uribe, em substituição do lesionado Bruno Costa e do ‘amarelado’ Stephen Eustáquio.

A formação portista começou a dividir mais o encontro, mas, em contra-ataque, a sua nova ‘arma’, foi o Lyon que quase chegou ao segundo golo, aos 63 minutos, com Paquetá a isolar Dembélé, que, desta vez, perdeu no frente a frente com Diogo Costa.

O Lyon lançou, depois, Aouar e Kadewere, e, aos 73 minutos, o médio testou Diogo Costa, que esteve novamente bem, antes de Sérgio Conceição apostar tudo, com as entradas de Evanilson, Taremi e Vítor Ferreira, este lançado já depois de um muito perigoso ‘tiro’ de Pepe (77 min) a rasar o poste direito.

Com o passar dos minutos, o jogo ‘partiu-se’, com o FC Porto, já em ‘desespero’ a quase chegar ao empate aos 90+2 minutos, quando, após um livre de Fábio Vieira e um desvio de cabeça de Pepe, Vítor Ferreira falhou o mais fácil.

Até final, a melhor ocasião pertenceu aos locais, com Ekambi a isolar-se e a ser contrariado por Diogo Costa, para, na recarga, Paquetá e Kadewere ‘atropelarem-se’ e não conseguirem atirar para a baliza deserta – o brasileiro rematou por cima.

 

Declarações

 

Sérgio Conceição (Treinador do FC Porto)

“(Sobre o ‘onze’ escolhido para a partida) Achei que quem entrou de início neste jogo me dava totais garantias para ganhar. Tivemos 11 dias com quatro jogos, os jogadores com mais minutos iniciaram o jogo no Dragão e estiveram muito abaixo. Com menos utilizados, fizemos hoje um jogo competente, na parte final podíamos levar o jogo para prolongamento, que era o que era merecido. Quero dar os parabéns aos jogadores. A equipa em si, alguns mais e outros menos identificados com o processo, jogou de maneira ligeiramente diferente, mas com entrega enorme. Não perdemos hoje a eliminatória, perdemo-la no Dragão.

(Sobre o Lyon) Todas as equipas que estão na Liga Europa estavam à mercê do FC Porto, que está habituado à Liga dos Campeões. Duas vezes nos quartos de final e outra nos ‘oitavos’ da ‘Champions’. É o nosso lugar. Temos de pensar já no jogo com o Boavista, no domingo, que nos permitirá no mínimo manter a distância para o segundo classificado, e na luta pelo campeonato, o principal objetivo.

(Sobre o jogo com o Boavista) A responsabilidade não é maior, porque é desde o início a de ganhar todas as competições. Continuamos com a responsabilidade grande de ganhar campeonato e Taça. Falei agora com o grupo de trabalho, dei-lhes os parabéns. Não sou muito de elogios, os jogadores têm de trabalhar, ser dedicados, ambiciosos e determinados, que foi o que fomos hoje. Estavam tristes e desiludidos com a eliminação. Tínhamos a convicção de que poderíamos levar a eliminatória a prolongamento e ganhá-la. Não foi possível, é normal que estejam desiludidos. É a partir dessa frustração que vamos ganhar no Bessa.”

Pepê (jogador do FC Porto e autor de um golo)

“Queríamos classificar-nos, batalhámos por isso. Começámos a perder e a equipa procurou apurar-se, mas temos de levantar a cabeça e pensar no campeonato.

(Sobre as mudanças no ‘onze’ habitual) O nosso foco era total neste jogo. Temos um grande plantel, independentemente de quem jogue. Sabemos da qualidade e potencial que temos. Hoje arriscámos e procurámos ao máximo, com entrega. Infelizmente, não foi suficiente.

Procuro evoluir dia após dia, tenho apoio dos treinadores e dos jogadores todos. Têm-me dado força e confiança para dar o meu melhor em campo.”

Marko Grujic (jogador do FC Porto)

“O golo sofrido mudou o estilo de jogo, mas como tínhamos alguns jogadores que não costumam jogar, conseguimos uma boa resposta de todos. O FC Porto mostrou que joga sempre bem na Europa, tentámos continuar a nossa jornada, mas acabou. Temos de nos focar no jogo de domingo.

Todos os jogadores querem jogar nestes momentos, treinam a pensar nele. Todos os 25 atletas estão prontos para jogar. Participamos em muitas competições, toda a gente é importante. O nosso objetivo principal, desde sempre, é o campeonato, e queremos ganhá-lo.

Temos uma boa vantagem no campeonato, bom ambiente e um bom estilo de jogo. Vamos dar tudo nestes últimos dois meses.”

 

Lyon 1-1 FC Porto

Ao intervalo: 1-1

Jogo no OL Stadium, em Lyon

Árbitro: Ovidiu Hategan (Roménia)

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Stephen Eustáquio (18 min), Dubois (60 min), Evanilson (81 min) e Caqueret (82 min). Cartão amarelo para o Treinador do FC Porto, Sérgio Conceição (61 min)

Marcadores: Moussa Dembélé (13 min) e Pepê (27 min)

Lyon: Anthony Lopes, Dubois, Thiago Mendes, Lukeba, Emerson, Ndombélé, Caqueret, Ekambi, Faivre (Aouar, 65 min), Lucas Paquetá e Moussa Dembélé (Kadewere, 65 min). Suplentes: Pollersbeck, Bonnevie, Denayer, Aouar, Henrique, Gusto, Keita, Damien Da Silva, Jeff Reine-Adélaide e Barcola e Kadewere. Treinador: Peter Bosz

FC Porto: Diogo Costa, Bruno Costa (João Mário, 56 min), Mbemba, Pepe, Zaidu, Grujic (Vítor Ferreira, 79 min), Stephen Eustáquio (Uribe, 57 min), Galeno (Evanilson 74 min), Pepê, Fábio Vieira e Toni Martínez (Taremi, 74 min). Suplentes: Marchesín, Cláudio Ramos, João Mário, Rúben Semedo, Fábio Cardoso, Wendell, Uribe, Vítor Ferreira, Francisco Conceição, Gonçalo Borges, Taremi e Evanilson. Treinador: Sérgio Conceição

Donativos LusoJornal
X