Filme “Mistida” de Falcão Nhaga junta-se ao festival de Clermont-Ferrand

Cultura

 

O filme “Mistida”, do realizador português Falcão Nhaga, foi selecionado para o Festival Internacional de Curta-Metragem de Clermont-Ferrand, onde já estão outros filmes portugueses, revelou a organização.

O festival de Clermont-Ferrand, o maior dedicado à curta-metragem, começa a 27 de janeiro e contará com o filme “Mistida” no programa “African Perspetive”.

Produzido pela Escola Superior de Teatro e Cinema, “Mistida” é o filme de fim do curso de realização de Falcão Nhaga, de 21 anos, de ascendência guineense e cabo-verdiana.

A curta-metragem é protagonizada por Bia Gomes e Welket Bungué e esteve este ano em vários festivais, incluindo o La Cinef, em paralelo ao festival de Cannes.

“Uma mãe imigrante, aflita das costas, liga ao filho para que ele a ajude a carregar os sacos de compras para casa. Durante o percurso, os dois conversam sobre o futuro através do passado, numa revinda às suas amarguras e alegrias”, lê-se na sinopse.

Na semana passada, o festival de Clermont-Ferrand anunciou os filmes escolhidos para várias secções competitivas entre os quais se encontram seis filmes portugueses ou com coprodução portuguesa.

Na competição internacional estão os filmes de animação “Ice Merchants”, de João Gonzalez, “O homem do lixo”, de Laura Gonçalves, e “Slow Light”, dos polacos Przemyslaw Adamski e Katarzyna Kijek, coproduzido por Portugal pela Cola Animation.

Na competição internacional estão ainda as ficções “As sacrificadas”, de Aurélie Oliveira Pernet, e “Um caroço de abacate”, de Ary Zara, enquanto na competição Lab está “Please make it work”, de Daniel Soares.

O cartaz oficial do festival de Clermont-Ferrand foi desenhado pela realizadora e ilustradora portuguesa Regina Pessoa.

 

Donativos LusoJornal